Searching for "dorama"

Assistir: Strong Woman Do Bong Soon (2017)

Dorama: Strong Woman Do Bong Soon

Do Bong Soon carregando Ahn Min-hyuk nas costas
Do Bong Soon e Ahn Min-hyuk

Sinopse

“Uma garota incrivelmente forte morre de amores pelo crush de infância dela, mas ele, infelizmente, gosta de mulheres que são muito mais elegantes do que a desajeitada Bong Soon. Enquanto tenta conquistá-lo, ela consegue um emprego como guarda-costas de um CEO lindo. No entanto, nem ela tem a força necessária para romper o ego impenetrável de seu chefe cabeça dura, o arrogante Ahn Min Hyuk, CEO de uma empresa de jogos. Ele é esquisito, mimado, dominador e muitas vezes mostra um absoluto desrespeito pelas regras e cortesia comum. A personalidade dele bate de frente com a da certinha Do Bong Soon, mas não demora muito tempo para o gelo entre os dois começar a derreter e as coisas começarem a esquentar. Será que o CEO do jogo se tornará uma pessoa melhor e conquistará o coração da nossa mulher forte? Ou será que ela sempre suspirará pelo homem que não gosta da força que a torna única?”

In Guk-doo e Ahn Min-hyuk
In Guk-doo e Ahn Min-hyuk

O que achei?

De primeira este dorama me ganhou por conta de: EDIÇÃO. Barulhinhos divertidos, efeitos bem parecidos com coisas da internet e memes rolam em vários momentos e eu adorei a maneira que usaram isso pra dar o toque comédia na história. Apesar de fazer rir, este dorama tem uma pegada policial bem legal e realmente te pega e faz ficar apreensível até final.

Do Bong Soon é muito meiga e cativante e é visível o crescimento da personagem ao longo da história, assim como os sentimentos dela por Guk-doo e Min-hyuk. Os personagens crescem juntos com o passar da série e leva a um final bem bacana.

Destaque para Baek Soome que me fez rir demais, adorei o toque de celular dele com o saudoso “Tônico com Guaraná”, quem lembra? Mas pra mim o melhor personagem foi Oh Dol-pyeo. Era ele aparecer e eu dava risadas com certeza.

Oh Dol-pyeo
Oh Dol-pyeo, o melhor personagem?

Toda história é bem desenvolvida, apesar do núcleo todo dos irmãos de Min-hyuk acabar ficando meio pra trás depois de um tempo, isso não me incomodou nem um pouco, pois entendi que ele serviu pra um propósito, mas podiam ter colocado eles no final – que eu não vou contar aqui.

Comédia, ação e romance pra gente ficar suspirando muito. Recomendadíssimo! Aliás, agora meu toque de celular é igual da Do Bong Soon. Divertidíssimo e destrambelhado.

Kim Jang-hyun, vilão de Strong Woman Do Bong Soon
Kim Jang-hyun

Tatuagens Pequenas – Tenho e Amo

Tatuagens Pequenas e Delicadas

Tatuagem em tengwar
Foto do meu ensaio feito pela Gio Coppi.

Eu sempre quis ter tatuagens e piercings. Eram coisas que me chamavam atenção desde mais nova e eu sempre adorei ver a dos outros. Tatuagens me passam a ideia de pessoas decididas, confiantes, destemidas e seguras de si, se isso é verdade não sei, mas é coisa que eu tenho comigo e por isso sempre ficava imaginando quais eu teria.

A Primeira – Tatuagem Nerd

Meus pais nunca deixaram, por isso esperei até trabalhar e ganhar meu suado dinheirinho – já que não achava justo usar dinheiro de quem não aprova – para fazer minha primeira: meu nome escrito em Tengwar, a língua dos elfos criada por J.R.R. Tolkien. No dia fomos eu e duas amigas muito queridas, e uma até fez junto comigo a tatuagem – com o nome dela claro. Estudei alguns meses para ter certeza dos escritos e fiz nossos nomes. O tatuador copiou minhas letras e pronto, quase sem dor. O ano era 2010 e eu estava no meu penúltimo ano da faculdade.


Michelli em Tengwar, a língua dos elfos.

A Segunda – Tatuagem Motivacional

A minha segunda fiz este ano, depois de uma epifania. Estava assistindo ao dorama Scarlet Heart e depois do final resolvi que queria escrever uma das últimas frases do personagem de Lee Joon Gi em coreano. Este dorama pra mim é um dos que mais gostei até hoje e a frase iria sempre me acompanhar e me lembraria sempre de dar meu melhor nas coisas e aproveitar ao máximo a vida.

Felizmente a maravilhosa da Loma me ajudou com o coreano e ficou tudo certinho! Escolhi a tipografia no computador e fui no estúdio da fofíssima Talita Sakamoto, que fica aqui em São José dos Campos, para ela fazer o trabalho. Escolhi uma fonte fofinha e pedi para o ponto final ser um coração, afinal, amor nunca é demais, né? Ela foi super atenciosa e batemos um papo muito legal enquanto ela me coloria, indicadíssima!


“A vida é efêmera”.

Eu sei que tatuagens não têm que ter significados, mas pra mim todas tem e terão, afinal tô vendo mais algumas pra fazer já. Eu gosto de fazer em lugares que não vejo com frequência, porque sou muito de enjoar das coisas, por isso uma na nuca e uma do lado de fora do meu braço, quase não vejo as coitadas. E o que eu gosto é ter número par de tatuagens, pois sou muito mais números pares que ímpares, vai entender.

E vocês, curtiram as tatoos? Querem fazer? Tem mais? Quero ver, me mostra!

Página do Facebook da Talita | Instagram da Talita

Assistir: Arang e o Magistrado (2012)

Arang and the Magistrate

Arang e o Magistrado

A História de Arang e o Magistrado

Arang e o Magistrado trata-se do encontro de Arang, uma fantasma que perdeu todas as suas memórias e é incapaz de descansar até descobrir como morreu, com Kim Eun Oh, um nobre que está a procura de sua mãe e que seguindo pistas, acaba chegando a cidade de Miryang. Kim Eun Oh tem a habilidade especial de ver espíritos, mas finge que não, pois não gosta de ser incomodado pelos fantasmas que vêm até ele pedir favores. E Arang está tentando a três anos, através dos magistrados, investigar a sua morte. Dessa forma ela tem a intenção de fazer de Kim Eun Oh um magistrado para ajudá-la. Será que ambos conseguirão desvendar os mistérios que os envolvem? Arang, com a sua morte e o Magistrado, com o desaparecimento de sua mãe?

Arang e Kim Eun Oh

Personagens

Imperador de Jade, Rei do Céu, e Yama, rei do submundo, são os personagens que regem toda a história deste dorama. Como deuses eles jogam suas pedras e tramam o destino das pessoas (e fantasmas) que estão na terra, como Arang e Kim Eun Oh.

Arang é uma fantasma desmemoriada, porém determinada e que aprende a se virar nessa dura vida de fantasma sozinha. Conhecemos ela toda “esfomeada” e suja. Kim Eun Oh é um cara bem mimado, nunca está nem aí pra ninguém que não seja ele e por este motivo ele finge que não vê os fantasmas, já que eles sempre ficam pedindo ajuda e isso só gera incômodo. Com ele sempre está seu servo, Dol-Sew, rapaz generoso, sempre preocupado e dedicado a seu mestre .

Dol-Sew esbarra em Bang-wool, que é uma xamã que sempre vê as coisas pelas metades. Na verdade ela apenas escuta os espíritos. Ela vira e mexe ouve as lamentações de Arang, enquanto pede para ver o espírito de um general. E esses dois são o melhor casal que este dorama poderia ter.

Imperador de Jade, Yama e Ceifador

O que achei

Eu fui ver este dorama por causa do meu queridinho Lee Joon Ki. Depois de Scarlet Heart e O Sábio que Caminha de Noite eu queria ver mais coisas com ele e PA! Cai neste aqui. Acontece que de todos, este foi o mais fraquinho.

Apesar de a sinopse parecer bem interessante, a história de 20 episódios fica arrastada demais. Talvez se fossem menos episódios a coisa seria melhor, ou se as coisas fossem acontecendo com mais frequência entre os episódios, mas lá pro número 11 a gente já está cansado do drama de achar mãe de Kim Eun Oh. Algumas coisas são bem previsíveis, o romance de Arang e Kim Eun Oh demora pra engatar e a gente fica só vendo fantasmas e esperando os encantos da xamã.

No meio disso tudo o que salva é o romance de Dol-Sew e Bang-wool. Engraçadíssimo, fofo e muito sincero! Melhores cenas desses dois. Aliás, a atriz que faz a xamã se destaca muito mais e pra mim foi a melhor personagem deste dorama.

Apesar de não ter gostado muito por conta de tudo demorar muito para acontecer, a história é boa. É fofo ver o cuidado de Kim Eun Oh crescendo por Arang e como eles vão se ajudando e se preocupando um com o outro aos poucos.

Os vilões são bons, não falo muito para não dar spoilers, mas com o passar dos episódios você já vai entendendo e sacando pra onde tudo vai levar. Não é um dorama péssimo, mas dos que vi, é o mais fraco.

Dol-Sew e Bang-wool

E você, já assistiu? Tem algum pra indicar? Falae pra gente!

Assistir: Cinderella e os Quatro Cavaleiros (2016)

Cinderella and The Four Knights

Seo-woo, Ji-Woon, Ha-Won, Hyun-min, Park Hye-ji e Lee Yoon-sung

A História de Cinderella e os Quatro Cavaleiros

Eun Ha-Won é uma estudante do ensino médio que quer se tornar uma professora, já que era o desejo de sua falecida mãe. Apesar de uma menina brilhante, em casa ela é solitária. Vive com o pai, madrasta e a meia-irmã depois que sua mãe morreu em um acidente de carro, porém seu pai sempre viaja a trabalho e as duas fazem dela gato e sapato.

Um dia, ela ajuda a um homem velho misterioso e ele sugere que ela viva em uma mansão com os primos Kang Ji-Woon, Kang Hyun-Min, Kang Seo-Woo e seu guarda-costas Lee Yoon-Sung, para que ela faça os quatro se entenderem, pois vivem em pé de guerra, em troca ele vai ajudá-la a chegar nos objetivos que ela tanto almeja.

Lee Yoon-sung de terno segurando um guarda chuva para Ha-won, que usa uniforme da escola.

Primeira imagem com a madrasta e a irmã de Ha-won sentadas largadas em um sofá. Segunda imagem com Hyun-min dando de ombros para Hye-ji.

Os personagens

Hyun-min aparece na vida de Ha-Won para transformar tudo. Um cara mimado, egocêntrico, namorador e controlador, que cria toda uma situação no casamento do avô e deixa Ha-Won encabuladíssima, mas ela não leva desaforo pra casa e logo dá uma lição nele, o que dá ao avô uma ideia bem maluca, por assim dizer. Quem é que pensa em colocar uma mulher pra morar entre os 3 netos? Só coisas de dorama mesmo. Ainda mais com a regra de “ser proibido namorar”. Já viu onde isso vai parar né?

Hyun-min tem uma antiga história com Park Hye-ji, uma amiga da infância que ainda é apaixonada por ele, mas ele insiste em tratar mal pra caramba. Menina! Se valoriza!

Seo-woo é o segundo neto, romântico, famoso por suas músicas e um doce de menino. Mas quem diria que também é um cabeça dura e não se relaciona nada bem com seus outros primos. Apesar disso é o que trata melhor Ha-Won.

Ji-Woon é o terceiro, mais rebelde. Nem sabia que pertencia a esta família tão rica da Coreia e tem que se adaptar ao estilo diferente de vida que ele diz odiar, mas pelo que vemos ele bem que se ajusta bem ao dinheiro, não é?

Os três vivem em pé de guerra e só Ha-Won faz eles se unirem e fazerem coisas juntos, como uma família que são. Ela faz tudo com ajuda de Lee Yoon-sung, o secretário particular do avô dos meninos, que sempre está de cara amarrada e tentando ajudar ao máximo, mas será que ele é só mesmo quem achamos que ele é? =O

Ha-won tirando uma selfie com Ji-Woon, que faz um sinal de V com os dedos.

O que achei?

Baseado no romance “Cinderellawa Nemyungui Kisa” de Baek Myo, este dorama foi muito recomendado pra mim e resolvi encará-lo. Eu já havia começado a ver e não tinha gostado do primeiro episódio, mas ainda bem que dei uma segunda chance porque Cinderella e os Quatro Cavaleiros é uma poço de fofura!

De cara você já entende que por mais que hajam situações engraçadinhas, a história tem vários dramas pessoais de Eun Ha-Won, que vive sendo deixada de lado pela madrasta e pela irmã, mas que se mantém firme em seu propósito de ser professora, sempre estudando muito e correndo atrás do que ela quer, trabalhando em vários lugares para conseguir o dinheiro para sua faculdade.

O mais legal desses doramas é ver como a gente começa a torcer para um romance e logo depois tudo começa a mudar, e lá vai a gente suspirar pelo casal mais fofinho. Eu achei uma graça esses dois e a maneira que a história deles se une. Triste, mas algo bonito.

Hyun-min, Ji-Woon e Seo-woo