ChellPals – Amigos de cartas digitais.

Foto de cartas antigas da minha prima pra mimCartinhas da prima.

Senta que lá vem história

Desde pequena eu era meio viciada em cartas. Trocava cartas direto com minha prima que morava em Curitiba. A gente mandava cartas enormes, cheias de desenhos, colantinhos, páginas cheirosinhas, papéis de carta e canetas coloridas com glitter. Na mesma época também trocava cartas com minha tia e madrinha que morava lá em Brasília. Depois fui crescendo e arrumei alguns amigos na internet pra trocar… CARTAS! Porque não?

Maurício Alves foi um desses, hoje autor de livro, ator talentosíssimo e um dos responsáveis pelo canal Gaiola das Roucas, que fala sobre teatro de uma maneira divertidíssima. Até hoje guardo nossas cartas.

Foto de cartas antigas da minha madrinha para mimCartas da madrinha.

Depois passei a trocar cartas com o namorado. Mesmo quando nos víamos, parecia que as conversas não cabiam no tempo que tínhamos junto e as cartas continuavam a falar. Ele mudou de cidade, na época a internet não era assim tão fácil, com WhatsApp e tudo mais, e só nos falávamos 2 vezes por semana, por 10 minutos. Aí vieram as cartas. E quantas foram! Tenho uma caixa cheia delas.

Sempre gostei dessa coisa de escrever para as pessoas, conhecê-las realmente e por isso criei o blog há quase 17 anos atrás. Eu adoro ler blogs e gosto de contar um pouco de mim, então na época havia uma troca boa de pessoas se conhecendo. Porém hoje as coisas mudaram bastante nesse mundo blogueirístico e senti que precisava de um lugar pra ser mais direta, um lugarzinho mais íntimo pra chamar de meu, pra falar das coisas da vida, pra gente se aprochegar gostosinho e trocar umas ideias.

Foto de cartas antigas que mandei pro noivoCartões que fiz pro noivo.

Foto de uma parte das cartas que tenho em casaUm pouco das cartas que tenho em casa.

ChellPals

Pen pal foi uma das primeiras palavras que aprendi no meu curso de inglês, quando tinha meus 7/8 anos. Julia Burns, a menininha do livro, tinha um amigo fora do Brasil pra quem escrevia cartas e ele era o “penpal” dela. Esta palavra significa “amigos de caneta”, ou seja, pessoa que você amigavelmente troca cartas. Então resolvi dar o nome dessa listinha de ChellPals, ou “amigos da Chell”.

Nestes e-mails vou dividir com vocês reflexões do cotidiano, coisas que me inspiram e coloridezas da vida. Acabei de inventar esta palavra. Lá a gente pode falar mais perto, vocês recebem no aconchego de vossos e-mails textos e inspirações que mandarei uma vez ao mês. Juro que vai ser no máximo duas, assim nenhuma caixa de e-mail vai se cansar de mim.

O que achou da ideia? Quer entrar pro clubinho? É só preencher o formulário abaixo e esperar a primeira “cartinha” chegar.

Preencha e se inscreva!


* obrigatório




Você também pode gostar desses

6 Comments on Vamos ser amigos de cartas

  1. Oi Chell!
    Também tive muitas experiências de trocas de cartas, principalmente com meus amigos de MG (eu morava no RJ), troquei cartas com um paquerinha de lá e era a coisa mais maravilhosa quando chegava carta de alguém. Eu tinha 16 anos!
    Vou aguardar sua cartinha! :*

    Beijinhos,
    Ana

  2. Eita! Já curti!

    Eu já tive até um penpall da época que fazia inglês, mas a gente vai deixando de escrever com o tempo ne, então vai perdendo o contato. ^^

  3. Tô dentro! o/
    Troquei cartas com minha amiga de adolescência a vida toda, quando tive Padrim escrevia newsletter para os apoiadores e, agora, estou me aventurando novamente por esse mundo, inspirada pela news da Stephanie Noelle.
    Bju :*

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *