Vamos falar sobre ditadura da beleza usando de gancho o #StopTheBeautyMadness, um projeto que vai muito além do “desafio de tirar foto sem maquiagem”. Vale a pena entender o que é e principalmente o fato que tirar uma foto sem maquiagem não é um castigo nem motivo pra aposta. Um oferecimento Rotaroots.

Quando eu era adolescente eu não era uma menina muito ligada nessas coisas de beleza. Sempre gostei de me esconder por trás de roupas largas e meu All Star, e com esses ítens eu conquistava o mundo. Eu fui crescendo e minha mãe sempre ficava falando: “coloca uma sandalhinha”, porque mesmo em dias quentes eu andava de tênis, com meu shorts gigante e minhas camisetas. Acho que no fundo, depois de refletir muito, tudo isso era pra evitar olhares. Lembro também que minhas primas falavam que meu pé era feio, por isso eu devia ter vergonha de mostrá-los.

pes_1
Eu e meu irmão em Brasília em 2006. Calor e… All Star.

Sempre fui muito moleca que saía descalça pelo cimento pra correr e brincar, andar de bicicleta, jogar bola e subir em alguma árvore que desse sopa por aí. Sou muito mais amiga de meninos que de meninas e me interesso mais por Star Wars e Harry Potter do que por qual maquiagem nova saiu no mercado. Essa sou eu. Mas cresci e comecei a tirar sobrancelhas, hoje tenho uns dois tipos de rímel, alguns batons e uma paleta de 120 cores de sombras em casa, tudo pra dar uma salvada no visual em dias de olheiras profundas, casamentos, passeios ou quem sabe aquele dia que dá vontade.

OK. E o que tem tudo isso a ver?
Tem a ver que até hoje eu não acho que sou uma mulher normal comparando com uma grande maioria. Comecei a fazer muita coisa “de mulherzinha”, mas tem tanta coisa que não é prática. Maquiagem mancha meu rosto quando entra algo no olho e eu tento tirar. A unha com esmalte não dura nada quando se tem sua casa e tem que lavar roupas e louças. Não digo que é errado fazer essas coisas, mas acho que simplesmente não preciso fazer porque todo mundo faz. Quando estou com vontade, passo maquiagem pra me ver arrumada, quando acho que quero cor nas unhas, vou lá e passo esmalte e acho que toda mulher deveria se sentir livre pra fazer o que bem quisesse com seu corpo, desde que seja saudável. O problema é que conheço muitas que só se colocam pra baixo e/ou nunca vão se deixar serem vistas em uma foto sem maquiagem, pois elas são escravas de todo este padrão de mulher perfeita que as mulheres mesmo colocam nas cabeças, porque homem mesmo não liga muito pra essas coisas não.

pes
Pés sem fazer. Mas o que é fazer, certo?

Prefiro ficar com meus pés do jeito que são, porque prefiro sentir o chão da minha casa, do trabalho ou até mesmo nas aulas de luta, sem me preocupar se o esmalte descascou ou se as unhas estão sem fazer. Eles no chão me fazem lembrar que sou gente e que sou dona de mim e ninguém vai me fazer sentir mal, mesmo que não goste de algumas coisas. Um dia todo mundo aprende que não é porque todos fazem que temos que fazer, Kate sabe disso (10 Coisas Que Odeio em Você) AH! E descobri que meus pés são lindos e que meu namorado adora eles. O que isso me fez aprender? Que é tudo questão de como se vê, então permita-se ser livre.

Você também pode gostar desses

7 Comments on Uma menina fora dos padrões

  1. Chell, somos muito parecida nesse aspecto. Nunca me importei com “vaidade” e até hoje sou assim, me arrumo, uso maquiagem.. mas pra situações que é necessário (uma boa apresentação), no dia a dia eu ando sem.. As pessoas da minha faculdade estranham porque lá estou usando meu jeans, sem maquiagem .. e nos eventos estou produzida..

    Sempre gostei do confortável e nunca vou abrir mão disso..

    Adorei sua visão e publicação
    Grande Beijo

  2. Somos muito parecidas! Eu me identifiquei com o post, já que ontem mesmo tive que comprar um salto para ir para a formatura e o vendedor me empurrando mais sapatos, bolsas e a loja inteira e eu falando: moço, entenda que se eu pudesse ia de all star para a formatura mas não da. E ele riu kk Mas é verdade!
    Eu gosto de maquiagem, mas uso só em ocasiões especiais… me da nos nervos minhas primas levando meia hora se maquiando para ir na padaria ¬¬
    Já disse que adorei o post?
    Beijos

  3. Nossa, é isso mesmo! Temos que fazer essas coisas quando temos vontade, e a hora que queremos, sem ter que fazer as unhas toda a semana ou não poder colocar o lixo pra fora sem estar com base e rímel! To contigo nessa ideia! :****

  4. Que fofa! Me identifiquei muito com o post também.

    Eu acho que usei camisetas até meus 12 anos. Além de não me sentir “mocinha” (hoje em dia tem crianças de 6 anos mais maquiadas do que eu na minha formatura), eu não fazia muito questão de parecer mais arrumada. Era uma criança ainda e não me sentia bem com peitão, daí as camisetas pareciam uma ótima opção.

    Também sempre fui bem mais moleca, melhor amiga dos guris e só fui usar um salto com 15 anos.

    Depois, é claro, tive várias fases. Algumas em que me arrumava mais, outra menos, mas nunca senti como uma obrigação fazer isso.

    Você fez bem em manter os pés no chão – de sandalinha ou de allstar hehe 🙂

    Beijos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *