Filmes

Assistir: 10 filmes do Robin Williams

Uma vez, quando mais nova, me perguntaram qual ator/atriz me faria ficar triste quando morresse. Nunca fui muito de idolatrar pessoas a níveis extremos, mas depois de pensar bastante respondi que seria Robin Williams. Semana passada veio a notícia de que acharam o ator que eu adorava morto e eu fiquei chateada. Ele já fez muita piadinha de mal gosto com nosso país, mas o cara tinha talento e conseguia fazer todo mundo rir muito ou chorar demais, mesmo com algumas bombas na carreira ele sempre conseguia se destacar. Fica aqui então minha singela homenagem.

5 FILMES PARA RIR

Uma Babá Quase Perfeita – É estranho como choro até nas comédias de Robin Williams, mas este é especial. Eu ria demais com a Sra. Doubtfire e em como aquela máscara me dava agonia ao mesmo tempo que fazia rir. Faz algum tempo que revi o filme na TV e matei a saudade. Só comecei a chorar vendo esta deliciosa comédia quando meus pais se separaram, não sei explicar, sei que mexe com alguma coisa.

Jumanji – Apesar de ser uma comédia infantil, lembro do nervoso que passamos assistindo o filme. Eu já era a maluca do desenho animado, achava o máximo um jogo fazer tudo acontecer, mas o filme foi bem legal mesmo! Até hoje acho ele divertidíssimo.

Flubber – Este filme me lembra meu irmão. A gente riu demais assistindo a geleca verde pulando de um lado pro outro, divertidíssimo! E só hoje, depois de sei lá quanto tempo, descobri que é produção da Disney.

Candidato Aloprado – Nesta época de eleições, nada como rever este filme super engraçado sobre este candidato que ganha sem querer um cargo político. Me rendeu altas risadas na Sessão da Tarde.

Hook – A Volta do Capitão Gancho – Meu predileto! Quem nunca quis parar de crescer e ir pra Terra do Nunca? É tão legal ver que Peter cresceu e se tornou Robin Williams! Considerado um dos grandes fracassos do cinema, não sei porque, este filme sempre esteve no meu coração. Peter carrancudo se transformando em Peter Pan de novo para salvar os filhos, garotos perdidos, Sininho e comida colorida vinda da imaginação de cada um, achava aquilo simplesmente demais.

5 FILMES PARA CHORAR

Gênio Indomável – Faz muito pouco tempo que assisti ao filme que deu Oscar para Williams. Posso dizer que é uma lição pra muita coisa, que chorei e que Matt Damon está ótimo. Além disso, não consigo acreditar que o roteiro foi escrito por ele e Ben Affleck, desculpa.

Sociedade dos Poetas Mortos – Esse eu me lembro pouco, mas sei que vi em uma aula de português na escola. Acho que os professores tem que pensar que não estamos com cabeça pra esse tipo de filme quando somos muito novos, porque hoje eu entendo como as mensagens dele eram importantes. Oh Captain, my captain!

Patch Adams – O Amor É Contagioso – Chorei, chorei e chorei. Se tem um filme que tem o dom de te fazer rir e chorar é este. Até hoje sonho em mergulhar em uma banheira de espaguete, deve ser libertador.

O Som do Coração – Este é um filme um pouco mais novo, mas não deixa de fazer chorar. Apesar do papel de Williams não ter tanto destaque, não deixa de ser importante para causar a reviravolta no filme. Lindo filme, trilha, tudo.

Homem Bicentenário – Além de muito choro, muita reflexão sobre a vida, sobre as coisas e sobre o tempo. “Isto fica feliz em ser útil” está em meu conjunto de frases de filme que mais uso pra me comunicar e sempre vai estar por dizer coisa demais em uma frase tão curta. Lenços do lado pra assistir, não esqueça.

E vocês? Foram marcados por algum desses filmes ou tiveram outros? Deixem aí nos comentários =D

Filme: X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (2014)

[rating:4/5] “No futuro, os mutantes são caçados impiedosamente pelos Sentinelas, gigantescos robôs criados por Bolívar Trask (Peter Dinklage). Os poucos sobreviventes precisam viver escondidos, caso contrário serão também mortos. Entre eles estão o professor Charles Xavier (Patrick Stewart), Magneto (Ian McKellen), Tempestade (Halle Berry), Kitty Pryde (Ellen Page) e Wolverine (Hugh Jackman), que buscam um meio de evitar que os mutantes sejam aniquilados. O meio encontrado é enviar a consciência de Wolverine em uma viagem no tempo, rumo aos anos 1970. Lá ela ocupa o corpo do Wolverine da época, que procura os ainda jovens Xavier (James McAvoy) e Magneto (Michael Fassbender) para que, juntos, impeçam que este futuro trágico para os mutantes se torne realidade.”

Meus heróis prediletos e amados estão de volta em um novo filme, desta vez dirigidos novamente por Bryan Singer e tenho que confessar, ficou MUITO BOM! Apesar de ter poucas cenas de luta, o que tem incomodado algumas pessoas, as que vemos aqui são boas demais. A história explicou algumas coisas e resolveu outras, o ritmo do filme é muito bom e no final você só sabe que queria mais. Hugh Jackman está, Ó, maravilhoso. Adorei ver o Wolverine com cara de lenhador, fumando charutos e mostrando o bumbum ao mesmo tempo não só irritadinho, mas tentando se controlar. A mistura de passado e futuro funcionou bastante e saí satisfeita do cinema. Na verdade, a cena extra pós-créditos só deixa tudo mais legal. Trilha sonora? Bacana! Não me empolguei muuuito com ela, mas já estou escutando.

Assistir: O Lobo de Wall Street (2014)

[rating:4/5] “O filme é adaptação do livro de memórias de Jordan Belfort, que no Brasil ganhou o nome de “O Lobo de Wall Street”. Belfort foi um corretor de títulos da bolsa norte-americana que entrou em decadência nos anos 90. Sua história envolve o uso de drogas e crimes do colarinho branco.”

Agora começa a temporada de “corre pra ver antes do Oscar”. “O Lobo de Wall Street” está concorrendo em categorias como, melhor filme, ator, ator coadjuvante e diretor pra Martin Scorsese. Fui este fim de semana na pré-estréia e por mais que suas 2 horas e 59 minutos de filme possam ter parecido um pouco demais, Di Caprio dá um show de interpretação, minha vontade era de levantar no final e aplaudi-lo de tão impressionada que fiquei. Apesar de muitas cenas sexuais (do tipo, não dá pra ir com família no cinema) e a palavra “fuck” dita mais de 500 vezes durante o filme, motivos que levaram o filme a ser censurado em países da Ásia e do Oriente Médio, o filme trás um drama de um homem viciado em drogas e álcool, e porque não, em dinheiro e mulheres. Por mais triste que seja a situação do personagem ela é contada de uma maneira divertida e que te faz rir quase que o filme todo. Será que é isso? Rir da desgraça alheia é legal? Bem, tirem suas próprias conclusões, porque este é um filme que merece ser assistido.

Sinopse do Adoro Cinema

Assistir: Os Estagiários (2013)

Os Estagiários[rating:3/5] “Billy (Vince Vaughn) e Nick (Owen Wilson) são grandes amigos e trabalham juntos como vendedores de relógios. Eles são pegos de surpresa quando seu chefe (John Goodman) fecha a empresa, por acreditar que o negócio esteja ultrapassado. Com problemas financeiros, eles conseguem a inscrição em uma seleção de estágio no Google. Mesmo sem terem a garantia que serão contratados, eles partem para a sede da empresa e lá precisam lidar com a diferença de idade entre eles e os demais competidores.”

Quando vi o trailer do filme no cinema eu fiquei morrendo de vontade de assistir. Comédia é sempre tudo meio igual então a ideia é que divirta! E sabe o que é legal nessa? Os cenários e todos os lugares do Google no filme são reais! Tudo gravado em Mountain View e querendo te levar pra trabalhar naquele lugar lindo e descolado. O roteiro é algo bem comum, mas consegue cativar com as referências nerd e faz rir em vários momentos. Lição aprendida no filme: ser mais como os mais velhos e menos desesperada como os mais novos. Me vi naqueles jovens doidos e eufóricos.


%d blogueiros gostam disto: