Filmes

Destino (2003)

Muito mais do que os olhos podem ver, é o que podemos falar dessa animação.

A obra “Destino”, produzida da inusitada parceria entre o gênio dos desenhos animados Walt Disney, e o conceituado artista Surrealista Salvador Dali, nos levam, em seus pouco mais de 5 minutos – a uma viagem única entre o mundo da arte e da animação.

Devido ao período de Guerra, em 1946, os estúdios Disney estavam produzido apenas filmes animados que eram utilizados para o treinamento do exército estadounidense. Não havia investimento para produções de longa metragens, e era período da produção de curtas animados, muitos deles apresentados pela Silly Symphonies. Contudo, Walt Disney percebeu que poderia extrapolar o limite das animações de curta duração… Foi quando conheceu, pessoalmente, Salvador Dali, que estava nos Estados Unidos, fugindo do caos na Europa. Disney estava muito interessado na arte de Dali, e o artista, por sua vez, curioso pela técnica de imagens em movimento. Nascia um casamento entre dois gênios dos século XX.

O espetacular trabalho manual era feito inicialmente por Dali, todo o concept de cenários e quadros principais, e o animador John Hench teve a tarefa de unir as sequências. Com uma incrível habilidade, os traços tornaram-se tão semelhantes que o próprio artista já não mais distinguia quais era os seus desenhos ou os do companheiro.

A canção folclórica mexicana “Destino”, de Armando Dominguez e interpretada por Dora Luz, tornou-se o título do trabalho, pelo fato de nos mostrar o constante conflito com o tempo pela espera de nosso próprio destino.

Como, nem tudo que é bom dura para sempre, pedidos para produções de longas metragens apareciam nos estúdios Disney, novamente, e devido a alguns desentimentos o projeto ficou de lado.

Somente no ínicio da década passada, o criador de animação, Roy Edward Disney, neto do fundador da empresa, resolveu levar adiante o projeto. Dominique Monfery foi convidado para a direção desse trabalho, sendo que seu estúdio, já havia produzido, em parceria, minutos para clássicos Disney, como “O Corcunda de Notre-Dame”. O diretor sentiu a responsabilidade da produção, mas – felizmente – acabou aceitando. Sua adição a equipe foi, com certeza, essencial.

O filme é repleto de referências de obras de Dali de até os anos 40. Vale a pena conhece-las para usufruir melhor da animação, que soa muito mais como se fossem os próprios quadros em movimento mas com o ar Disney de ser. A obra foi exibida pela primeira vez em Junho de 2003 na França, para posteriormente só em dezembro – do mesmo ano – ir para os Estados Unidos. Esse trabalho que teve um início desprentencioso, sem fins comerciais, apenas a arte pela arte, hoje é considerada uma obra significante tanto para o acervo de Disney, como para o do próprio Dali.

Na época, em entrevistas, cada um dava seu ponto de vista, Dali dizia que o curta era “Uma exposição mágica do problema da vida no labirinto do tempo”; já Walt Disney: “Somente uma simples estória sobre uma jovem garota em busca do verdadeiro amor”.

Verdade seja dita, “Destino” é um projeto singular de “um desenho animado nunca antes visto”.

O curta faz parte dos extras do Blu-Disc de Fantasia 2000, lançado no final do ano passado, aqui no Brasil.

Também faz parte do conteúdo bônus um documentário relatando todos os detalhes da trajetória desse projeto. Fica como lição de casa assistirem. 😉

A Origem + O Lutador

A Origem –[rating:5/5] “Dom Cobb (Leonardo DiCaprio) é um habilidoso ladrão, o melhor na perigosa arte da extração, o roubo de segredos valiosos das profundezas do inconsciente durante o sono com sonhos, quando a mente está mais vulnerável. A rara habilidade de Cobb o tornou peça fundamental no traiçoeiro mundo da espionagem industrial, mas também o tornou um fugitivo internacional e ele perdeu tudo o que mais amava. Agora, Cobb tem sua chance de redenção, um último trabalho que pode dar-lhe sua vida de volta se ele conseguir o impossível – inserção. Ao invés do roubo perfeito, Cobb e sua equipe de especialistas têm que obter o inverso: sua tarefa não é roubar uma ideia, mas plantar uma. Se eles conseguirem, terão o crime perfeito. Mas nem todo seu planejamento poderia prepará-los para um perigoso inimigo que parece prever cada movimento da equipe. Um inimigo que apenas Codd consegue enfrentar.”

Se eu tivesse que escolher um filme pra ganhar muitos prêmios hoje, seria esse. Efeitos especiais que me lembraram um pouco de 2001 – Uma Odisséia no Espaço, por conta dos cenários virando 360º, mas logicamente com mais movimento, já que nossos recursos atuais de tecnologia passam longe dos que Kubrick tinha, não é? Leonardo di Caprio mandou muito bem e de novo ficamos achando que ele é um pirado #ilhadomedofeellings, o moçinho do “10 Coisas que Odeio em Você” também foi muito bom, e eu AMEI o roteiro. No começo você se perde um pouco, bem pouco, mas depois que você entende toda a situação… você fica “OMG! QUE FO**!”. Adorei, adorei e adorei!

O Lutador –[rating:4/5] “Randy `The Ram´ Robinson (Mickey Rourke) é um bem-sucedido pugilista nos anos 80 que é impedido de lutar depois de sofrer um ataque cardíaco. Assim, ele consegue um emprego em um restaurante, começa a tentar namorar uma stripper e tenta retomar uma relação com sua filha, mas não consegue resistir a vontade de retornar à antiga carreira, mesmo sabendo que isso oferece riscos a sua saúde. “The Wrestler”, dirigido pelo americano Darren Aronofsky (“Fonte da Vida”), levou o Leão de Ouro de melhor filme na 65ª Mostra de Cinema de Veneza. Rourke, na vida real, foi boxeador profissional entre 1991 e 1995, o que o obrigou a passar por várias cirurgias plásticas. A imprensa iraniana acusou o filme de mostrar a ignorância e a opinião pré-concebida do Ocidente em respeito ao Irã. A cena em questão é a que o protagonista luta contra um personagem chamado The Ayatollah, que se veste com uma indumentária típica do Oriente Médio e balança uma bandeira iraniana antes de atacar Robinson com o mastro.”

Confesso que Mickey Rourke me dá um bocado de medo. Mas o filme acho que entendeu que começar com um close dele seria bem estranho, então você demora uns minutos pra ver o rosto dele. Achei interessante a câmera na maioria do tempo filmando ele de costas, assim você tem uma vista quase que em primeira pessoa, mas ao mesmo tempo fica distante, já que ele te dá as costas o tempo todo. Acho que isso me impediu um pouco de chorar no filme, o personagem quase não me encarava. Entendo porque Rourke ganhou prêmios de melhor ator, já que levou o filme TODO nas costas. Confesso que luta livre não me agrada, principalmente as lutas que os caras realmente se machucam muito, essa foi uma das lutas que mais me incomodou, mas você vê que tudo que ele fez deixou consequências. Gostei bastante, não foi um filme chato de ver, como achei que seria, adorei a fotografia e os tons frios que eles utilizam quando ele está fora do ringue. Valeu a pena!

Sinopses e imagens : Cinema com Rapadura

O Turista + A Rede Social

O Turista –[rating:3/5]“A trama se passa em Veneza, na Itália, e em Paris, na França. A trama acompanha Frank (Depp), um turista americano que viaja para Veneza a fim de esquecer uma decepção amorosa quando conhece a bela e sedutora Elise (Jolie), uma mulher que deliberadamente cruza seu caminho com o dele e é uma agente da Interpol. Frank se apaixona perdidamente por ela, mas depois descobre que está sendo usado e que foi colocado em meio a um redemoinho de intrigas e perigo.”

Eu tinha que assistir, afinal, Jolie e Depp? É quase obrigação. Mas bem, achei a coisa toda meio fraca. A ação é divertida e ttem certas horas que Depp me fez lembrar do Jack em Piratas do Caribe, principalmente quando ele saiu correndo pelo telhado, mas… sei lá, faltou algum sal nessa mistura toda. Jolie está meio sem expressão e achei uma mistura de Sr. e Sra. Smith com Salt.

A Rede Social –[rating:2/5]“Em uma noite de outono, em 2003, graduado em Harvard e gênio em programação de computadores, Mark Zuckerberg se senta em seu computador e acaloradamente começa a trabalhar em uma nova idéia. No furor dos blogs e programação, o que começa em seu quarto logo se torna uma rede social global e uma revolução na comunicação. Em apenas seis anos e 500 milhões de amigos mais tarde, Mark Zuckerberg é o mais jovem bilionário da história… Mas para este empresário, o sucesso traz complicações pessoais e legais. “A Rede Social” é um filme que prova que não é possível chegar a 500 milhões de amigos sem fazer alguns inimigos.”

Tá bem que o cara é um gênio, mas daí dizer que o filme é bom por causa disso é demais. Achei cansativo, bem confuso no começo e achei o cara um verdadeiro panaca. O ator mesmo nem é tão expressivo no filme, achei o cara que fez o papel do Eduardo bem melhor. Ele trolla super bem, mas mesmo assim, um panaca. Panaca, sortudo e rico. Fazer o quê! A trilha é uma das poucas coisas boas do filme, então, se você está sem paciência, pegue a trilha sonora e seja feliz! haha.

Enrolados + Sempre ao Seu Lado + Recém-Formada

Enrolados 3D – [rating:5/5]“Flynn Ryder (Zachary Levi) é o bandido mais procurado e sedutor do reino. Um dia, em plena fuga, ele se esconde em uma torre. Lá conhece Rapunzel (Mandy Moore), uma jovem prestes a completar 18 anos que tem um enorme cabelo dourado, de 21 metros de comprimento. Rapunzel deseja deixar seu confinamento na torre para ver as luzes que sempre surgem no dia de seu aniversário. Para tanto, faz um acordo com Flynn. Ele a ajuda a fugir e ela lhe devolve a valiosa tiara que tinha roubado. Só que a mamãe Gothel (Donna Murphy), que manteve Rapunzel na torre durante toda a sua vida, não quer que ela deixe o local de jeito nenhum.”

Que coisa mais linda. A Pixar deve ser o lugar mais perfeito pra se trabalhar no mundo, juro que sinto a paixão do trabalho deles quando vou assistir um filme no cinema. Enrolados está entre meus desenhos prediletos da Disney e digo isso sem pensar muito. Adoro ir ao cinema e me sentir criança de novo. Ri demais e foi realmente um bom momento. Trilha sonora LINDA, torço pra que ganhe pelo menos o Globo de Ouro. Lindo, lindo e mil vezes lindo. Quero cortar meu cabelo igual o da personagem, mas só depois do meu baile de formatura! E se alguém quiser pode me dar o livro de artes conceito do filme. Efeitos 3D também são super!

Sempre ao Seu Lado – [rating:5/5] “Refilmagem de uma produção japonesa que conta a história, baseada em fatos reais, do relacionamento entre um cão da raça Akita e seu dono. Após vários anos de convivência, o cão chamado Hachiko permaneceu por toda uma década esperando seu dono voltar, quando na verdade ele havia morrido. Muito popular no Japão, Hachiko é celebrado todos os anos como símbolo de fidelidade e uma estátua em sua homenagem foi erguida numa praça em Tóquio. “

Mas que graça de filme. Quero um akita pra mim quando eu puder ter um cachorro. Eu gosto de cães e gatos, mas realmente, um filme que fala sobre lealdade desse jeito nunca poderia ter um gato. Adorei a câmera que mostrava a visão do Hachi, assim entendemos que o personagem também tem sentimento. Trilha sonora perfeita!

Recém-Formada – [rating:3/5] “Ryden Malby (Alexis Bledel) tem um plano perfeito: formar-se na faculdade, arrumar um ótimo emprego, passear com seu melhor amigo (Zach Gilford) e encontrar o cara perfeito. Mas seu plano fica hilário e completamente fora de controle quando ela é forçada a voltar a morar na casa de sua excêntrica família. Quando ela finalmente consegue o emprego dos seus sonhos, Ryden percebe que isso nada significa sem o homem dos seus sonhos… e sem as pessoas que ela ama. “

Eu só vi o filme por me identificar com o título. Acabei de me formar na faculdade e tenho que dizer que eu passei por várias situações parecidas. Principalmente a cena da bicicletinha. Rodrigo Santoro está no filme, e acreditem, ele fala mais que duas frases. Uma comédia bobinha, mas que eu gostei de ver pra me animar um pouco e foi legal ver que não sou só eu que passo por certas situações.

%d blogueiros gostam disto: