música

Nas Trilhas do Meu MP3: Jackie Evancho

Esta semana descobri uma menininha que me fez derreter. Nascida em 2000 (pode chorar) na cidade de Pittsburgh, Jacqueline Marie “Jackie” Evancho foi uma das participantes do America’s Got Talent de 2010 e, com apenas 10 anos, essa criaturinha conseguiu fazer todo mundo se arrepiar com músicas clássicas cantadas lindamente com uma voz potente pra uma menina com a idade dela. Ela disse em uma entrevista que assistiu “O Fantasma da Ópera” e decidiu que queria aprender a cantar, quer coisa mais culta e fofinha? Pra afirmar o bom gosto musical da mocinha, em uma das etapas do AGT Jackie escolhe Sarah Brightman pra fazer par com ela em uma das músicas. Ela tem um álbum com o nome “Dream With Me”, que é lindo pra quem curte música clássica. Mas chega de escrever, porque essa aí foi feita pra ouvir, solta o play!

Primeira participação no America`s Got Talent

Trilhas do meu MP3: Zedd

Eu sempre gostei de algumas músicas eletrônicas, principalmente aqueles CDs de Summer Eletro Hits. Vira e mexe, eu e o namorado buscávamos eles inteiros pra ouvir, algumas eu conhecia de festinhas da faculdade e outras eu ouvia nas rádios. Mas depois de começar a correr senti uma necessidade de ouvir essas músicas, não parece, mas na hora da corrida elas funcionam como uma gasolina, parece que você se diverte o dobro e corre o triplo, além de sentir uma sensação gostosa (pelo menos eu sinto) de estar livre, leve e solta.

Esses dias procurava algumas músicas novas pra adicionar ao meu MP3/Celular e nisso achei algumas bem boas e que estão super famosas pelas rádios que escuto, o mais interessante? Elas são do mesmo cara: Zedd. De acordo com a Wikipédia o rapaz chamado Anton Zaslavski, rapaz de 24 anos, é um produtor Russo-Alemão de electronic dance music e DJ. Nunca me liguei em nome de DJs mas com certeza eu vou guardar este na memória porque as músicas dele estão virando vermes na minha cabeça. Se você ainda não conhece, aí vão algumas das mais conhecidas dele:

Clarity (Feat. Foxes)

Stay The Night (Feat. Hayley Williams)

Eu, a música e o rádio

Eu sempre fui super maluca por música. Tem gente que só começa a ter interesse na adolescência, mas desde meus primórdios anos eu já adorava ouvir um disco (sim, sou do fim dessa época) do Balão Mágico, Paquitas, Xuxa e “Mônica e Cebolinha no Mundo de Romeu e Julieta”, que era um disco marrom clarinho todo transparente. (http://tinhaqueser.com/index.php/2010/05/12/monica-e-cebolinha-no-mundo-de-romeu-e-julieta/). Tinha um verdinho que eu adorava também, mas nem lembro que músicas tinham dentro dele. Depois vieram os filmes da Disney e eu virei uma viciada nas músicas daquelas animações, sabendo cantar as músicas de todos os VHSs que tínhamos (mais uma vez dedurando a idade?)

Como todos que crescem e evoluem, o meu gosto foi mudando. Conheci o cinema e com ele as trilhas de filme, por incrível que pareça, lembro até hoje o dia que minha mãe comprou o CD da trilha sonora do filme “Titanic”. Eu ficava horas e horas ouvindo “My Heart Will Go On” acompanhando a voz deliciosa de Celine e a letra da música que estava no encarte, toda en inglês e que eu entendia mais ou menos, graças as aulas que fazia na escola da minha mãe.

Todo adolescente tem aquela fase cabulosa, que só Deus sabe de onde sai tanta porcaria pra um ouvido só. Nesses meus tempos eu ouvia Belo (culpa de o Cravo e a Rosa) e KLB. Não posso negar que muitas musicas do KLB são boas, tanto que são regravações de outros artistas. Não escuto mais KLB, mas as músicas desses outros continuam no meu MP3, como Blitz e Bee Gees, viu como dá pra aproveitar algo ainda?

E lá fui eu crescendo e minha paixão por trilhas de filme só crescia. Descobri o fantástico mundo dos musicais, Moulin Rouge e Chicago foram me levando para um caminho sem volta. Juntei moedinhas pra comprar o CD do Moulin Rouge, naquele tempo que os CDs eram fortunas e a internet era terrível. A internet discada de sábado a tarde, aquele sábado de um impulso só e aguardado por muitas pessoas, demorava-se uma hora(ou mais) para baixar uma música.

Hoje eu consigo ouvir faixas e mais faixas de trilhas de filme sem baixar uma música sequer e ainda temos opção de pegar tudo de uma só vez e deliciar-se em menos de uma hora. Acontece que eu tenho sim meus gigabites de músicas no computador, no Grooveshark e até em nuvem, mas eu tenho que confessar, adoro ouvir um rádio. Minhas músicas vão me enjoando e quando não consigo baixar nada novo vai tudo sendo sempre a mesma coisa, na rádio eu descubro músicas que eu talvez nunca descobriria e me apaixono por novos artistas. Sem contar que tem aquele sentimento gostoso que te invade quando aquela música que você tanto adora começa a tocar no meio da programação. Só de pensar que muitas pessoas estão ouvindo aquela música ao mesmo tempo com você, olha que legal! Posso ser eu a empolgada demais, mas é com pequenos prazeres baratos que levamos um dia depois do outro, e quem disse que tudo que é bom tem que ser caro?

Rádios on-line que escuto no trabalho e em casa.

Antena 1 – Calma, tem sempre momentos flashback e toca trilhas de filme e músicas clássicas dos anos 60, 70 e 80. Muita música internacional, não só dos EUA, mas alemãs, italianas e poucos comerciais.

Rádio Rock – Paixão em forma de rock! Programas bem interessantes com versões ao vivo, joguinhos pra participar e ganhar ingressos pra shows queridos e apresentadores super animados!

Rádio Disney – Animada, jovem, toca o que tem de mais novo no pop/rock internacional e nacional. O nome já te diz que é pra garotada, mas eu ADORO!

O legal é que essas três possuem aplicativos para Ipad/Iphone e Android, dá pra ouvir em casa enquanto desenha, cozinha, limpa… é só curtir!

Gif do YouPix

Trilhas do meu Mp3: The Piano Guys

Uma coisa que eu sou é: fã de música. Música é uma coisa que me transporta, me lembra pessoas, me lembra momentos, cheiros, lugares e não importa a música. Sou difícil de gostar de UMA banda, UM artista, porque as vezes tem uma no repertório que eu amo e o resto eu dispenso. Por causa disso eu me considero um pouco eclética quando se trata de música.

Hoje minha prima me mostrou um pessoal que me fez arrepiar e lembrar de tanta coisa que resolvi mostrar pra vocês, então conheçam os “The Piano Guys”.

The Piano Guys começou como uma loja de piano na cidade de St. George, Utah. Um dia, enquanto Paul estava vendendo pianos, Jon Schmidt veio e perguntou se ele poderia usar o piano para praticar antes de um concerto. Paul ficou espantado com o talento dele e eles começaram a criar vídeos de músicas juntos. No começo os vídeos eram bem básicos, mas com o tempo eles começaram a fazer produções mais e mais criativas. Depois de filmarem alguns vídeos com Jon, ele apresentou Steven Sharp Nelson, um violoncelista que estava acima de todas as coisas que já tinhamos visto. Jon e Steve se apresentaram juntos por vários anos, e puderam ver que juntos poderiam fazer um grande time.”

Além de músicas clássicas, a dupla arrasa em versões piano/cielo de músicas atuais, como “Rolling in the Deep”, da Adele, ou então “Somewhere Over the Raimbow”. Minha favorita é a Secret, da banda One Republic, com participação da voz maravilhosa de Tiffany Alvord.

Site do The Piano Guys
Canal do YouTube

%d blogueiros gostam disto: