passeio

Passeio: Museu de Pesca – Santos/SP

museu_pesca_santos_1

Jornal “A Tribuna”, Santos (SP). Autor: Marcelo Justo, fev. 2007.

O Museu de Pesca de Santos sempre foi um lugar que eu quis visitar, desde pequena. A família da minha mãe é praticamente toda de lá e por conta disso cresci visitando a cidade, e sempre passava pela frente do museu e ficava encantada com o esqueleto de baleia que podíamos ver da rua. Finalmente, depois de 27 anos, lá fui eu entrar nele.

O antigo Forte Augusto de 1734 foi construído para a defesa do estuário de Santos, mas em 1893 o lugar sofreu ataques e quase não sobrou muita coisa. Devido ao excelente lugar onde se encontrava, torna-se Escola de Aprendizes-Marinheiros do Estado de São Paulo, organizada pelo Ministério da Marinha. O prédio foi inaugurado em 5 de maio de 1909 e funcionou até 1931. Em 1932, recebeu o nome de Instituto de Pesca Marítima. Durante anos o prédio fui mudando de nome até que em 1969 ele finalmente começou a ser chamado como hoje conhecemos.

museu_pesca_santos_2

Entrada do museu.

museu_pesca_santos_3

Balaenoptera physalus.

museu_pesca_santos_4

23 metros de comprimento e 7 toneladas – Uol

museu_pesca_santos_5

Tubarão.

Sobre o passeio: Apesar de ser um museu simples, ele é bem interessante e divertido. Com exemplares de vários animais taxidermizados (reproduzidos para estudo com carcaças reais), como arraia-manta, tubarões, lulas (único exemplar em exposição no mundo com 5 metros de comprimento), aves e peixes, o museu trás também salas interativas para crianças e que podem ser visitadas pelos grandes também. Uma das salas mais legais pra mim foi a que tem areias e conchas de várias praias do Brasil. Como praias num mesmo pais, estado e até cidade podem ser tão diferentes. Essa diversidade da natureza me encanta.

Tempo do passeio: Demoramos quase duas horas lá dentro, curtindo cada pedaço do local. Foi bem divertido!

Preço: Até a publicação deste post o valor da entrada consta como R$5,00 inteira e R$2,50 para estudantes e professores. Crianças até 6 anos e adultos maiores de 60 anos são isentos.

Onde fica: Avenida Bartolomeu de Gusmão, 192 – Santos/SP – (13) 3261-5260/ 3261-5995

Mais informações: http://www.pesca.sp.gov.br/museu.php

Viagem: Igreja de Madeleine – Paris

madeleine_1

Frente da igreja.

A Igreja de Madeleine começou a ser construída em 1763 em homenagem a Santa Maria Madalena, mas só foi terminada em 1845. Alí anteriormente haviam outras igrejas, que foram sendo refeitas e expandidas para absorver a quantidade de pessoas, até que Louis XV resolve fazê-la maior. A obra passou pela mão de vários arquitetos até ser terminada.

madeleine_3

Vista da Praça da Concórdia da frente da igreja.

madeleine_2

Interior

madeleine_4

Órgão da igreja.

Sobre o passeio: A igreja é maravilhosa. Pelas fotos é impossível entender o tamanho que ela tem. Lá dentro existem estátuas e pinturas lindas e impressionantes, fora os detalhes do chão e o órgão. Quando chegamos lá estava tendo um ensaio de violino maravilhoso e foi emocionante ficar alí por alguns minutos. Vale muito a pena passar por alí.

Preço: Igreja aberta ao público.

Tempo de passeio: Você pode assistir uma missa, ou apenas entrar pra olhar, então o passeio pode demorar de 30 minutos até uma hora.

Estação de metrô próxima: Madeleine.

Mais informações: http://www.eglise-lamadeleine.com/

Viagem: Catacumbas de Paris

catacumbas_1

Escultura feita pelo operário Antoine Décure.

Quando fomos pra Paris deixamos algumas coisas para descobrir por lá, e não é que a namorada do meu irmão deu uma dica super legal? As Catacumbas de Paris são um passeio pouco procurado por turistas, mas super diferente. Abaixo das ruas de Paris existem muitos túneis e passagens, alguns são mapeados, outros são descobertos de tempos em tempos. Em um desses você pode pagar um ingresso e ver pilhas e mais pilhas de ossos amontoados.

Um dos mais antigos cemitérios de Paris, o Cimetière des Saints-Innocents havia virado um problema enorme para a população da cidade. O cheiro era forte e doenças começavam a se alastrar por ali. Por isso em 1780 ele foi fechado e em 1785 uma parte dos túneis que já existiam na cidade foi destinada para o armazenamento desses restos mortais. Inicialmente eles eram apenas descartados lá, mas depois de algum tempo Héricart de Thury, o inspetor da Pedreira que fazia os túneis, resolveu arrumar os ossos em formas e paredes arrumadinhas, como vemos até hoje. São mais de 6 milhões de ossadas nas catacumbas e os túneis para visitação tem 2 km de extensão e ficam há uma profundidade de cinco andares.

catacumbas_2

Escada maluca.

catacumbas_3

Caveira do mau e caveiras do amor.

catacumbas_4

Mais ossos.

catacumbas_5

Minha cara de “gzuz quanto osso”.

Sobre o Passeio: Foi bem interessante e diferente descer os 130 degraus abaixo da terra! Ficamos abobalhados com a quantidade de ossos que existem por lá. O lado ruim é que a maioria dos textos é em francês, claro, mas não tem nada em inglês pra você se situar e nisso perdemos muita informação, mas não a diversão. Na saída, quando você sai das catacumbas, você vê uma lojinha cheia de coisas referentes a caveirinhas, foi onde comprei meu patch das catacumbas. Vale avisar que o trajeto tem 2 km e lá embaixo não tem saída de emergência e nem banheiros, então vá de barriga cheia e xixi feito.

Tempo de passeio: Uma hora de passeio subterrâneo.

Preço: €10.

Como chegar? Denfert-Rochereau, praticamente de frente!

Mais informações: http://www.catacombes.paris.fr/ | Informações do post do Aquele Lugar.

Viagem: Centro Georges Pompidou – Paris

pompidou_1

Centre Georges Pompidou

O primeiro lugar que fomos em Paris foi o Centre Georges Pompidou. Ele foi fundado em 1977 e desenhado pelos arquitetos Renzo Piano e Richard Rogers. Para a época o projeto dele era super arrojado e até hoje ele se destaca no meio da arquitetura de Paris. Alí funciona um museu, biblioteca e teatro, tudo com muita arte!

pompidou_5

Tubos!

pompidou_2

Arte contemporânea.

pompidou_3

Tarsila.

pompidou_4

Cadeira que quero pra casa.

Sobre o Passeio:Confesso que não sou muito fã de arte moderna e contemporânea, mas eu precisava ver esse lugar tão lindo e cheio de artes famosas, inclusive de muitos artistas brasileiros, como Tarcila do Amaral e DiCavalcanti. Ainda pude ver Pablo Picasso e Piet Mondrian de pertinho! Isso pra quem estudou história da arte na faculdade é tipo natal em outubro. Dá pra aproveitar e subir as escadas rolantes pra ter uma vista linda da cidade lá de cima. Me senti um hamster gigante naquele lugar.

Tempo de passeio: Gastamos umas 2/3 horas. Aproveitamos que estava um dia chuvoso e ficamos no quentinho de lá.

Preço: Pagamos 11 euros, mas o primeiro domingo do mês é sempre de graça, isso vale para quase todos os museus de Paris. Fica aqui também a dica para o Paris Museum Pass. Você compra pacotes para 2(€42), 4(€56) ou até 6(€69) dias e você entra em mais de 60 lugares sem pagar a mais por isso, em alguns você até “fura a fila”. Vale a pensa se você for em vários lugares que pagam, por exemplo Arc de Triomphe, Musée d’Orsay, Louvre e Versailles.

Como chegar? A estação mais próxima é a Rambuteau.

Mais informações: Site

%d blogueiros gostam disto: