vidinha

Quando a gente vira gente grande

Quando a gente vira gente grande tudo que víamos como coisas enormes ficam tão pequenas, e coisas que nem víamos ficam de tamanhos enormes! Por exemplo, víamos as roupas da nossa mãe e queríamos ser como ela, mas isso se torna o menor dos nossos problemas quando realmente estamos na situação de mulheres adultas. Com este “crescimento” todo vem as responsabilidades e a parte ruim de ser gente grande. Mas tem tanta coisa legal! Não preciso pedir por um sorvete e ter que implorar por um chocolate. Pra passear é só me arrumar e sair, e claro, tenho um namorado de verdade, nada de paixões pregadas na parede só pra admiração. Tenho o poder de dormir, acordar, escolher minha comida (mesmo que tenham que ser cozinhadas por mim) e isso tudo vai moldando ainda mais nossa personalidade, nossos gostos e nossos jeitos. É tão legal ver como vamos nos descobrindo, encontrando e posicionando nesse mundão, que na verdade é tão pequeno.

Durante 10 anos estive presente em blogs, e é tão gostoso poder ter um cantinho meu onde posso escrever minhas aflições, meus sonhos, compartilhar opiniões ou simplesmente coisas gostosas e divertidas. Já passei por aflição de vestibular, faculdade e hoje estou no “Jogo das Cadeiras”. Adoro conhecer pessoas de lugares diferentes, com jeitos diferentes e já conheci tanta gente nesse mundo blogueiro que eu AMO. Então, sei que é atrasado por demais, mas queria agradecer a todo mundo que entra, comenta, posta e participa, ou participou do Chocottone. Faço ele com carinho e sinto muito deixá-lo meio sem atualizar às vezes, mas é que enquanto crescemos, tem tanta coisa que tem que ser feita que as vezes mal sobra espaço pra uma diversãozinha que for, né? Tem dias que o dia podia demorar mais umas 4 horinhas no relógio.

E feliz aniversário pro blog!

I Feel Good

Dê o play e vai ler o post.

É isso ai pessoal! Eu tô boa! Já consigo comer de tudo!!! I’M FREEE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Depois de 12 dias eu estou 99% boa, só falta conseguir bocejar, que ainda acho que deve ter ponto, do mais, tô comendo de tudo já! Como é bom. Perdi 4kg e agora tenho que pegá-los de volta, já que não fazia planos pra perdê-los.

Ontem comecei no meu novo emprego numa agência na cidade onde eu moro, o que facilita eu não ter que pegar ônibus nem pra ir nem pra voltar, e ela fica a 5 minutos de casa. Uma delícia poder vir pra casa almoçar, descansar e voltar pro segundo round. Mudar pra melhor sempre é bom, né? Espero voltar agora com posts todos os dias pra vocês agora que as coisas vão se arrumando.

Falando em posts, o Vinícius Renard, nosso colaborador que falava toda semana sobre jogos saiu do Chocottone. O motivo, seu filhote lindo nasceu e ele está muito ocupado cuidando do pimpolho, nós entendemos, né? Então seja bem vindo nenêm fofo! E que traga muita felicidade aos novos pais!

Mais um recadinho, estou escrevendo resenhas de TrueBlood para o Séries no Ônibus, então se você curte e quer ler, passa lá! Eu estou atrasada por conta da cirurgia, mas já já está tudo certinho!

É isso, boa semana pra vocês e até próximos posts!

A Saga da Amígdala(não é a princesa)

garganta
 

Há mais de um mês atrás eu peguei uma infecção de garganta. Como qualquer outra vez eu tentei ser pacífica e comecei a tratar com própolis duas vezes ao dia e gargarejos de água quente com sal. Sempre resolve, mas desta vez bastou UM dia pra acordar no dia seguinte com duas bolas de golfe na garganta. Não falava, doía o corpo, mas não tinha febre. Doía pra engolir e tive que ir em um médico. Este primeiro médico me passou uma tal de azitromicina, mas não havendo melhora, fui novamente ao hospital e me receitaram cefalexina por 10 dias e dois dias de repouso e muito macarrão, que era a única coisa que descia fácil.

Melhorei, foi ótimo, minhas amígdalas que estavam inchadas desde uma outra infecção ano passado murcharam totalmente, mas depois de 3 dias passados do fim do antibiótico, lá estava a garganta doendo e incomodando, e lá vou eu de novo pro hospital desta vez tomando uma bela benzetacil na bunda.

Sete dias depois surge um feriado e eu, não vendo progresso com a garganta, resolvi passar por mais um médico. Mais antibiótico, o quarto, agora uma tal de ceftriaxona, 3 injeções no popô. Mais alguns dias depois e nada de melhora, vou para a minha cidade em Minas, passo por um Otorrino que receita gargarejos com antisséptico bucal sempre depois de comer e um remédio pra aumentar minha resistência. Nem no terço deste processo, BUM! Mais uma infecção! E lá vou eu caçar médico no feriado. Agora ele passa mais uma injeção e mais um antibiótico: Axetilcefuroxima.

Estou agora tomando este remédio, misturado com mais métodos caseiros, como própolis e gargarejos pra ver se resolve esta situação. O médico indica operar e eu estou na dúvida: espero este antibiótico, pra ver o que ele vai fazer, se vai ajudar, ou já me enfio na faca? Confesso que estou cansada desta trabalheira, já vai pro segundo mês de remédios, dores e injeções, mas é que eu sei que depois que se tira a amígdala não significa fim de problemas, que podem vir faringites, que dizem ser pior que amigdalites, e eu posso ganhar mais problemas do que soluções. Então, fica aqui minha dúvida. Alguma sugestão?

%d blogueiros gostam disto: