Guia do Mochileiro das Galáxias

“Considerado um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica, O guia do mochileiro das galáxias vem encantando gerações de leitores ao redor do mundo com seu humor afiado.
Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect.
A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do mochileiro das galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário.
Mestre da sátira, Douglas Adams cria personagens inesquecíveis e situações mirabolantes para debochar da burocracia, dos políticos, da “alta cultura” e de diversas instituições atuais. Seu livro, que trata em última instância da busca do sentido da vida, não só diverte como também faz pensar.”

Saraiva – Compre o livro digital

Como demorei tanto tempo pra ler este livro? Ah é… eu tentei ver o filme, foi uma droga e eu não quis ler. Anta. Devia ter escutado os 9027348742374 milhões de avisos: NÃO VEJA O FILME ANTES DE LER. Mas aí eu vi, achei um saco e demorei pra ler. Até que ouvi o Nerdcast sobre Douglas Adams, pedi o bendito emprestado e resolvi ler.

Capa Guia do Mochileiro das GaláxiasComo é nonsense! Como é engraçado! Como é magnífico! Realmente foi muuuuito mais do que eu esperava! Mas aviso, se você se apega à convenções sociais e não sabe levar NADA na brincadeira, você vai odiar este livro. Ele simplesmente destrói com nós, humanos e toda a sociedade. Foi incrível ler algo que é verdade e que em tons de sarcasmo mostra toda a hipocrisia do mundo. Me rendeu boas risadas no ônibus, as pessoas deviam me olhar até de soslaio e com medo.

O livro vai muito além da história nonsense e se você for parar pra pensar vai acabar surtando haha. Um livro diferente de tudo que eu já lí até hoje, com certeza. Espero que os outros volumes sejam tão bons!

Minhas passagens prediletas: o começo, quando ele descreve a minúscula e insignificante Terra, a baleia e o vaso de petúnias e a discussão entre o Super Computador e os filósofos. Mas acho que essas são as passagens mais clássicas, né?

O que é interessante é que como ouvi trechos do livro narrados pelo Guilherme Briggs no podcast, eu li o livro TODO com as entonações e a voz dele na minha cabeça. Tae, uma coisa nonsense pra ler um livro nonsense.

Tchau e obrigada pelos peixes.

Você também pode gostar desses

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *