Tô grávida, e agora? O primeiro trimestre de gravidez.

Você fez xixi no palito e aquele MAIS enorme apareceu. A segunda linha do papelzinho te deixou animada, ansiosa, nervosa e você não sabe se chora ou se ri?

Resolvi fazer algumas dicas para as mães iniciantes, coisas que eu percebi, aprendi e gostaria muito de compartilhar, espero que vocês gostem!

Você pode gostar também do meu relato sobre meu primeiro trimestre.

1. Não entre em fóruns e grupos abertos sobre maternidade.

Fuja do Baby Center! Eu entrei no começo, mas logo sai! Tem MUITA coisa que pode te deixar bolada.

Mulheres desesperadas que não queriam engravidar, mulheres que querem abortar, mulheres que abortaram, meninas grávidas e desesperadas…

Busque informações com profissionais responsáveis e em lugares seguros. Não fique em lugares que contam histórias ruins e pesadas. Foque agora no seu bebê e na sua saúde física e mental.

2. ESTUDE, ESTUDE E ESTUDE!!!

Entenda o que vai acontecer no seu corpo e com seu bebê nos meses que vão vir por aí, assim você não corre o risco de cair em nóias com palpites sem sentido e ainda fica mais calma com qualquer coisa que acontecer com vocês.

Pra isso, indico 2 livros: “O Que Esperar Quando se Está Esperando” (Heidi Murkoff, Arlene Eisenberg, Sandee Hathaway), pra você seguir mês a mês, e “Parto Ativo” (Janet Balaskas) para entender sobre seu corpo, parto, hormônios, puerpério, intervenções, analgesias e tudo mais.

3. Siga bons profissionais.

Eu comecei a seguir alguns obstetras que tiram dúvidas nas redes sociais e são sensatos e muito bons! Melhor que qualquer grupo/fórum de mães. São eles: Bia Herief, Ana Bárbara Januzzi e Braulio Zorzella.

4. Se puder, tenha uma doula.

Foi a primeira coisa que eu quis e decidi assim que fiquei grávida. Fechei com a minha com 8 semanas de gravidez e não me arrependo. Ela me ajudou a escolher minha médica, a pediatra e toda a equipe. Me colocou em um grupo de mães mais sensatas e sempre que eu tinha alguma dúvida sobre sintoma, desespero pelos enjoos ou algo assim, ela me ajudou, me ouviu e me deu soluções. Além disso ela vai auxiliar na hora do parto e depois também. Considere uma consultoria mega especializada.

5. Se for possível, ache o médico certo.

Principalmente se você quer um parto normal. Em várias rodas que participei vi mulheres que se arrependeram do médico que acompanhava elas. “Era meu médico desde adolescente, achei que ele ia ser bom e fazer como eu queria”. Informe-se, troque ideias e veja se seu médico realmente vai te oferecer o que você quer.

6. Os enjoos/vômitos vão passar.

Parece uma eternidade. Você fica com o corpo e a cabeça bem ruins. Parece que esse sofrimento não vai acabar nunca. Eu entendo. Rola desespero, angústia, tristeza, algumas crises de choro, mas acredite, passa.

Evolução da gravidez

7. Registre o momento!

Tire fotos da barriga, é bacana usar a mesma roupa todo mês pra você sentir e ver a diferença. Vai ser muito bacana seguir a evolução do seu copo assim.

Se gostar de escrever, comece um diário! Eu comecei a fazer um semanal para a Aurora, e conto pra ela como foi cada semana da gestação. Assim eu não perco nenhum detalhe e ela vai saber tudo quando ela crescer, vai ser incrível!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *