Feminices

Cabelo, esmalte, roupas, sapato… sou nerd, mas sou mulher!

Vídeo: Cabelo Curto e Cabelo Comprido

cabelo_comprido

Cabelo curto sempre gera uma certa polêmica. Muito homem fala que “não gosta” e muita mulher morre de medo, então pra aproveitar o novo visual eu vim aqui contar algumas diferenças entre ter cabelo comprido e cabelo curto. Você teria coragem de cortar o seu? Já fez algo do tipo? Como foi?

Na onda de cortar o meu e doar ainda incentivei a namorada do meu irmão que chegou de viagem cortando o cabelo e se juntando a mim na boa ação. Pra quem não sabe meu pai é cabeleireiro e cuida do meu cabelo desde que existo como pessoa, e ele que fez esse corte super diferente e moderno, inspiradíssimo na personagem de Ruby Rose em “xXx: Reativado”.

Se você gostou do vídeo e quer doar seu cabelo, conheça o projeto Rapunzel Solidária e se inscreva no canal.

tchau_cabelo

Misturando Batons | Chell

miniatura_video_batons_blog

Tem um tempo que minha mãe me deu de presente alguns batons bem diferentes. Comecei a usar e achei o máximo como com dois batons eu tripliquei as cores que eu tenho, sem ocupar espaço na minha gaveta. Os dois são da coleção Natura Faces (preto e branco) e com eles eu posso misturar cores e ter novas tonalidades de batom pra usar. Eu não sou uma grande consumidora de maquiagens, pois raramente compro alguma coisa, tanto que a maioria das coisas que tenho são dadas pela minha mãe, mas esses dois eu achei bem diferentes e por isso trouxe o vídeo pra vocês verem como funciona.

Se você curtiu e quer ver mais vídeos, assine o canal .

Outubro Rosa

outubro_rosa
Quando eu era pequena na minha escola tinha um pequeno palco, onde, me lembro como se fosse hoje, a mãe da minha amiga estava para receber uma homenagem. Ela estava lá, no dia das mães depois de passar por um tratamento de câncer de mama. Os cabelos estavam crescendo e ela recebeu um buquê de flores.

Muitos anos depois minha mãe foi internada com trombose e em uma das visitas eu conheci a moça que estava com ela no quarto. Câncer nos ossos. Pelo que me lembro, a doença se espalhou pelo corpo pela demora de diagnóstico de um câncer de mama. O médico falava que ela era muito nova e se recusava a dar a mamografia. Ela não tinha nem 30 anos.

Algum tempo atrás eu parei e pensei: “caramba, eu tenho 28 anos”. Não, não é besteira. A gente vai ficando mais velho e parece que a cabeça demora pra acompanhar, isso já me foi relatado por mãe e avó e pelo visto acontece com todo mundo. Acontece que a frase do Homem-Aranha vai ficando verdadeira, pois com grandes poderes vem grandes responsabilidades. Cresci, tenho minha casa, meu trabalho, minha vida e as responsabilidades estão sendo jogadas na minha cara a todo momento, mas uma coisa eu não tinha reparado, minha saúde faz parte disso.

Cresci, tenho minha casa, meu trabalho, minha vida e as responsabilidades estão sendo jogadas na minha cara a todo momento, mas uma coisa eu não tinha reparado, minha saúde faz parte disso.

Todo ano eu via o Outubro Rosa como uma campanha para “mulheres mais velhas”, afinal, eu tinha 13 anos, depois 18, depois 23… mas aí cheguei nos 28, idade que muitas mulheres descobrem este tipo de doença, e ainda não me identificava com as campanhas, foi quando a constatação da idade deu aquele click e eu entendi que eu tenho sim que me conhecer.

Na verdade a gente sempre tem que entender nosso corpo, mas eu comecei a me preocupar mais depois que parei de tomar o anticoncepcional (assunto para outro post), comecei a perceber mais o que acontece comigo e como isso é importante. Nunca tinha me tocado que eu poderia sempre fazer o auto-exame, que é tão fácil e importante pra prevenção do câncer de mama, algo tão simples e que eu achava que “não estava na idade”.

Como eu devem haver outras mulheres por ai (MU.LHER. Porque deixei de ser menina faz tempo) que não se enxergam com esses olhos, então quero convidar vocês pra ir comigo e embarcar neste mundo de gente adulta com responsabilidades e muita saúde. Faça sempre o auto-exame.

Vídeo: Tranças

miniatura_video_blog

Vira e mexe eu tô toda “trançuda”. Na verdade as tranças se tornaram quase obrigatórias nos dias de treinar kung fu e eu adotei mesmo elas quando estava com o cabelo BEM curtinho e não dava pra fazer muita coisa nele, ai as embutidas foram uma mão na roda em formaturas e casamentos.

Já teve bastante gente me pedindo pra mostrar como faço, então finalmente eu fui ali, me montei toda e gravei um vídeo mostrando como faço pra ficar toda trançada. Vale avisar que pra fazer as que eu ensinei, você tem que ter conhecimento básico de fazer uma trança reta que seja.

Gostou? Dá um like no vídeo e assine o canal.

%d blogueiros gostam disto: