diário

Blogagem Coletiva: Das voltas que a vida dá

vovo_willow

Vivemos em um mundo maluco onde encontramos vários tipos de pessoa e é aí que mora a beleza de cada um poder contar sua história e você poder conhecê-la. Este mês o pessoal do Rotaroots veio com a ideia da gente contar as vezes que começamos do zero em uma blogagem coletiva. Sabe quando a vida dá aquela chacoalhada? Poisé, pode ser que a minha vida não tenha as melhores mudanças, mas hoje vim contá-las pra vocês.

A primeira vez que tudo mudou

Minha primeira grande mudança foi quando eu tinha 10 anos, foi quando meus pais se separaram e eu lembro que tudo ficou confuso. Não sei porque, mas não guardo muitas memórias daqueles tempos. Sei que tivemos que nos adaptar a não ter meu pai sempre perto, a ficar mais tempo sozinha com meu irmão em casa e lembro da professora de matemática me chamar pra conversar porque meu rendimento tinha caído muito. Foi nesta época que também mudei de um colégio particular e fui para um público, mas achei bem legal mudar de escola. Depois que a gente cresce entende, apesar de lembrar que foi um momento ruim pra mim, penso que algumas coisas podiam ter sido diferentes, mas tudo passou e essa foi a primeira vez que tudo mudou.

grow_up

É hora de crescer

Eu sempre imaginava que passaria em uma faculdade fora da cidade que eu morava pra ter uma nova experiência, novas responsabilidades e novas oportunidades. Pois foi isso que fiz, passei em uma faculdade no interior de São Paulo e tive que me mudar pra lá pra fazer curso de design. É aí que a porca torce o rabo. Apesar de todo mundo te falar, você nunca vai escutar até essa hora chegar: A hora de crescer dói. Não foi fácil pra mim essa mudança, pois foi a primeira vez que tive uma crise de pânico, fiquei dois dias na cidade nova e voltei pra casa. Me sentia sozinha, sem ninguém e não conseguia pensar em mais nada. Depois voltei pra começar as aulas, desta vez na companhia do namorado que também estudava na mesma cidade, fui para meu primeiro dia da faculdade, conheci pessoas lindas (mas também as ruins) e tudo foi se ajustando. Aos poucos tudo se encaixou e quando vi já estava por lá há quatro anos, formada e procurando emprego.

fear

Pulando de galho em galho

Um dos meus maiores medos é de ser uma pessoa acomodada. Por conta disso, no final de um ano e meio de formada eu já estava na minha terceira agência de publicidade e me mudando novamente para outra cidade. Desta vez eu iria pra uma cidade maior, com mais qualidade de vida e oportunidades. Foi assim que fui para São José dos Campos buscar mais conhecimento e experiências. Nova casa, nova cidade, novo trabalho, nova rotina… e de novo a maldita crise de pânico. Mas dessa vez eu fui mais forte e aguentei firme. Fiz amigos maravilhosos na cidade e aproveito cada canto que posso dela, acho isso aqui lindo! Mas nunca me acomodei. Quando vi já tinha mudado de emprego mais uma vez (é a dança das cadeiras gente).

Grandes poderes trazem grandes responsabilidades

Um dia achei que minha saúde valia mais e por conta disso voltei de férias sem emprego. Sabe o que foi mais bizarro? Fiquei feliz. Cheia de medo, mas feliz. É engraçado como essa coisa de mudança me deixa cheia de vida. O desespero veio junto, claro, mas apareceram pessoas maravilhosas dispostas a entrar em um barco que não sei onde vai chegar, não sei se vai dar certo e não sei nada, mas eu resolvi tentar começar do zero pra colocar um sonho em prática. Estou correndo atrás de assuntos e ramos dos quais não entendo nada e tenho que aprender cada dia um pouquinho e isso é o que tem me motivado: fazer direito e fazer com amor. Em breve vou poder contar pra vocês aqui no blog, mas vocês podem saber que algo está sendo pensado do zero por aqui.

thiana“Me atende, me atende, me atende”

O que tem na minha bols… mochila?

Eu já vi essa TAG rodando pela internet até não poder mais, mas nunca respondi pelo simples fato de eu quase não usar bolsa. Acho elas muito desconfortáveis, ficam caindo e não me permitem liberdade nos movimentos, por conta disso eu sempre preferi as mochilas. Alí cabe tudo com espaço de sobra e ainda distribuo o peso nos ombros. Então hoje eu faço a TAG “O que tem na minha mochila?”.

Livro, celular e caderninho – Essas são as coisas essenciais pra mim. Mais importante que guarda-chuva, protetor solar e remédio pra cólica. Meu caderninho é minha vida. Alí eu anoto, rabisco e desenho o ano todo. Nunca consegui terminar um desses em um ano, então carrego ele pra onde quer que eu vá, junto com minha lapiseira, minha borracha e minha caneta brush. O livro é pra horas de espera, como em bancos, médicos e até mesmo no ônibus indo pro trabalho. Este ítem pode ser substituído pelo Kobo. O celular com fone é importante pra mandar mensagens, ouvir minhas músicas e podcasts no buzão e ainda falar com as pessoas que estão longe durante trajetos e horas de almoço.

Uma bolsinha – “AH! mas você não disse que odeia bolsa?”, é eu não gosto porque pra levar tudo isso da foto eu teria que ter uma gigante. Mas levo uma pequenininha pra usar na hora do almoço e levar celular e carteira. No inverno não precisa porque coloco nos bolsos dos casacos.

Óculos – De grau e de sol, um pra enxergar (miopezinha!) e um pra não chorar com a claridade. Parece frescura, mas quem tem olho claro sofre com a luminosidade do dia, até mesmo dias nublados.

Coisas de mulherzinha – Carrego pouca coisa, considerando muita gente que conheço, mas levo sempre um protetor solar, manteiga de cacau, cera da Granado pras unhas, lenços pra tirar esmalte, esparadrapo (sapatos do mau), prendedores de cabelo, espelhinho e uma escova de cabelo, vai que descabela. Tenho também uma bolsinha cheia de remédios pra tudo, como saio cedo pra trabalhar e só volto fim da tarde carrego pra tudo: cólica, dor de cabeça, dor de estômago, alergia, gripe, ansiolítico e até pra dor de barriga.

Guarda-chuva – Porque praga de mãe pega até de longe. Então melhor levar. Apesar que hoje em dia tá compensando esquecer e ver se a Lei de Murphy faz chover.

Carteira – Acho grande, mas é que tem coisas demais. AH! E sempre vermelha pra atrair dinheiro. Se funciona não sei, mas não custa nada tentar.

Tranqueiras – Além de tudo isso, tem as chaves de casa e do trabalho, porta-níquel e cabo pra carregar celular/Kobo, porque nunca se sabe, né? Uma coisa que sempre vem comigo pro trabalho também são minhas marmitinhas, com frutas, danone e bolachinhas pra comer em horários entre refeições, mas não coloquei pois era fim de semana e nem me toquei.

E aí gente, carrego muita tralha? Quem mais prefere mochila?

Meme: brinquedos que eu queria ter guardado para meu filho

Todo mundo tem uma porção de histórias relacionadas aos brinquedos favoritos da infância, não é mesmo? A ideia deste meme é mostrar, entre todos os presentes que você ganhou na sua infância, quais você gostaria de ter guardado para seu futuro (ou já) filhos. Oferecimento Rotaroots.

Esse mês está pura nostalgia! Depois de lembrar momentos que eu guardo da infância eu venho aqui contar pra vocês os brinquedos que deveria ter guardado, quer coisa mais gostosa?

Um dos meus prediletos era esse óculos maluco vermelho, o View Master 3D. Nada de tecnologia avançada e mini LCDs, esta coisinha brincava com lentes e filmes pra fazer você entrar em mundos. Este tipo de brinquedo existia desde 1939! Tinha “Pequena Sereia”, “Vila Sésamo”, “Duck Tales”, Disneyland e muita coisa bacana pra ficar vendo em 3D. Eu adorava colocar os disquinhos e me divertir com as cenas.

Sailor Moon

Esses já foram citados aqui no blog e são alguns que eu gostaria de ter guardado. Não só esses, mas também as minhas action figures da Serena e da Chibi. Eu não sei se um dia terei um filho ou uma filha, mas se for menina ela vai assistir aos 200 episódios de Sailor Moon e porque não, poderia gostar de brincar de Sailor. Ah vai, não custa nada imaginar.

Super Nintendo

Meu Super Nintendo. Não tem gente nesse mundo que mesmo com toda essa tecnologia, X-Box e PS3, não ache que Super Mário Bros é um jogo legal, então eu gostaria de ter ficado com meu vídeo-game. Mas sei que ainda dá pra conseguir um, só não sei se consigo os jogos de novo. Já falei uma vez aqui sobre meus jogos favoritos.

%d blogueiros gostam disto: