Comparação: Prismacolor vs. Faber Castell Polychromos

Qual lápis de cor comprar? Faber Castell Polychromos ou Prismacolor?

Lápis de Cor Prismacolor

Eu e os lápis de cor da Prismacolor Premier

Eu nunca fui muito a fim de lápis de cor para colorir desenhos, mas de uns anos pra cá eu fiquei bem viciada neles. São mais práticos pra carregar nas viagens que faço pra Minas para visitar minha família e eu comecei a me arriscar mais nas cores pra me acostumar a colorir as coisas que eu faço – pois sempre achei que se eu colorisse eu estragaria tudo. Com isso eu pedi pro meu irmão me mandar há uns anos atrás uma lata dos lápis de cor da Prismacolor lá da Inglaterra, quando ele foi estudar por lá.

Eu fiquei com eles um bom tempo por aqui sem usar, não me acostumava por nada e toda vez que tentava apontar eles quebravam demais, tanto que alguns estão bem pequenos. Até que me dei conta que poderia tentar usar o estilete para apontar – lembrei da minha prima que fazia arquitetura e só apontava os dela assim – e pronto! Me acertei com eles e comecei a utilizá-los. Foi um caso de amor maravilhoso e eu adorei o acabamento que ele dá para os meus desenhos. As cores ficam bem vibrantes e bem lindas, como você pode ver nesse desenho que fiz.

Lápis de Cor Faber Castell polychromos

Eu e os lápis da Faber Castell Polychromos

Eu já havia comprado alguns lápis da Faber da linha azul e não tinha gostado nada deles. Achei que era bem difícil pegar no papel, as cores ficavam bem apagadas, manchavam muito e por isso as 12 cores que comprei acabaram ficando esquecidas por aqui. Até que um dia vi muitos ilustradores visitarem a fábrica da Faber Castell e uma querida amiga, Sabrina Eras, foi e me contou sobre uma caixa de lápis que ela ganhou da marca. Faber Castel Polychromos, lata verdinha, linha mais profissional. De acordo com ela o lápis mais macio que ela já usou na vida.

Coloquei então como meta de consumo e na viagem que fiz final de 2017 para França para visitar meu irmão, comprei uma caixa deles pra chamar de minha e voltei já colorindo com eles. Realmente macios pra caramba, cores vibrantes e maravilhosas! Nada parecidos com a linha vermelha(escolar) e muito menos com a azul. Dá pra ver um desenho que fiz com eles aqui.

Comparando os Lápis: Prismacolor Premier VS. Faber Castell Polychromos

Como as duas marcas são muito utilizados por ilustradores resolvi fazer um post comparativo, já que quando eu fui comprar eu tinha uma dúvida monstra de qual seria melhor e não achei nenhum lugar falando sobre isso, assim sendo resolvi fazer alguns testes e ver se eles realmente apresentam diferença. Para fazer isso eu escolhi cards de papel Hahnemühle YouTangle.art, um papel delicioso e bem liso, assim seria mais fácil sentir a diferença dos lápis. Usei o mesmo papel para os dois lápis.

Papel Hahnemuhle quadrado, latinha

Aí escolhi duas cores que tivessem alguma equivalente nas duas marcas, para conseguir observar com mais facilidade as diferenças. Peguei um azul claro e um rosa bem chiclete.

Prismacolor versus Faber Castell Polychromos

Colori então com pequenos movimentos circulares, segui o mesmo esquema para os dois lápis de cor, para ver se haveria alguma diferença no resultado deles, tanto fazendo um leve degradê da cor, quanto pintando de forma mais firme, para a cor ficar mais uniforme. Fiz iso com o azul e depois joguei o rosa para mesclar as cores e ver como elas iriam interferir na hora da mistura.

Gif Colorindo Com Lápis de Cor em pequenos movimentos circulares

O que os testes mostram?

Card com testes do lápis Prismacolor

Os lápis da Prismacolor Premier são bem macios e cobrem muito bem quando utilizados com um pouco mais de força. Os movimentos circulares garantem uma cobertura praticamente uniforme e as cores ficam bem vivas. Ele é bem fácil de trabalhar com degradês e faz uma boa mistura na hora de sobrepor cores.

Card com testes do lápis Faber Castell Polychromos

Os lápis da linha Faber Castell Polychromos são extremamente macios, cores vibrantes e cobrem super fácil o papel. Na hora de misturar e sobrepor as cores, a maciês ajuda bastante e fica mais fácil não marcar a junção das cores no papel.

Cards com os testes do lápis de cor Prismacolor e Faber Castell Polychromos lado a lado para comparação

Colocando as folhas lado a lado dá pra perceber que o Prismacolor garante um preenchimento mais uniforme quando utilizado com mais força ou camadas mais escuras, porém o Faber Castel permite uma mistura de cores e uma sobreposição mais uniforme e menos marcada, deixando o trabalho mais orgânico.

Conclusão

Prismacolor versus Faber Castell Polychromos

As duas marcas são realmente ótimas para se trabalhar. Na questão de cores todas tem ótimos pigmentos e deixam o trabalho bem bonito, o que vai ditar qual tipo de lápis seria melhor para você será o modo que você pretende trabalhar ou o resultado que você pretende obter.

Se você quer um toque de pintura mais leve, com bastante sobreposição de cores, a linha Faber Castell Polychromos vai ser super indicada pra você. Mas agora, se você quer algo mais vibrante e quer carregar mais nas cores e na força na hora de aplicar no papel, o Prismacolor Premier é um lápis que não vai te deixar nunca na mão e vai garantir ótimos resultados.

As conclusões eu tirei comparando as duas marcas são bem pessoais e tentei fazê-las da melhor maneira possível, porém lembro sempre que as ferramentas não fazem o artista que você é, então nada aqui é regra, viu? Experimentar e achar o que mais combina com seu estilo e seus estudos é sempre válido, este post não substitui um teste de materiais, mas visa apenas mostrar algumas diferenças dos lápis de cor para tentar orientar um pouco mais.

Quem já usou os dois concorda comigo? Você usa alguma outra marca que gosta bastante? Conta pra mim =D

Tatuagem Aquarela – Minha primeira tatoo colorida

Tatuagem Aquarela: minha primeira colorida

Tatuagem de borboleta com aquarelas rosa, roxa e turquesa, no dia que foi feita
Tatoo fresquinha. Foto da Pam Sernaiotto.

Decidindo tudo

No começo do ano muitas coisas mudaram na minha vida, de novo. Eu voltei a trabalhar fora de casa, mais especificamente em uma agência de publicidade, voltei a fazer terapia com uma pessoa maravilhosa, fiz novas amizades que já estão no meu coração e então decidi fazer minha primeira tatuagem maior e colorida para marcar essas mudanças, e também para me lembrar que mudanças são boas, principalmente se te fizerem evoluir.

Vi os trabalhos da Pamela por conta da irmã dela, a nossa querida blogueira residente na Coreia do Sul, rainha da interwebs, Loma. Fiquei apaixonada no que ela faz com aquarela na pele, sempre delicada, com bastante naturalidade e ainda com os traços como se fossem sketches, era isso que eu queria: um desenho que tivesse a cara do meu eu artístico e simbolizasse minhas mudanças, as cores escolhidas são as cores que mais gosto de passar no meu cabelo e que uso muito em meus desenhos.

Tatuagem de borboleta com aquarelas, desta vez com o plástico que protege a tatoo.Tatoo com o TropicalDerm aplicado, 24h depois da tatuagem ser feita.

A Tatoo Aquarela

Chamei a Pam na internet e logo confirmei a sessão, a moça é concorrida e ficou quase um mês pra frente da data que estávamos. Perto da data ela me mandou sketches do que ela faria, depois de ajustes me apaixonei por tudo e estava pronta pra ser desenhada.

O estúdio fica na casa dela mesmo em São Paulo e aproveitei que queria rever amigos por lá e matei dois coelhos com uma “caixa d’água” só. Ela é um amor de pessoa, me recebeu muito bem e ficava toda preocupada em explicar tudo que estava fazendo, super atenciosa. A sessão demorou 3 horas e saí de lá já toda felizona com o resultado.

Eu tenho algumas tatuagens já, mas não era nada do jeito que foi esta. Fiz atrás do braço esquerdo e quase não consigo ver ela sem um espelho, mas a ideia era esta mesmo, não ver para não enjoar. A dor foi normal, nada absurda, mas confesso que tatuagens mais coloridas doem mais sim.

Tatuagem de borboleta com aquarelas com casquinha, cicatrizando.
Tatoo já cicatrizando, 7 dias depois com as “casquinhas”.

Cuidados

Depois de tatuada a Pam colocou um plástico super diferente na tatoo, o TropicalDerm, ele é feito pra isso mesmo e ajuda na cicatrização, protegendo a arte na pele. Fiquei 24h com ele antes de tomar banho e lavar a tatoo.

Depois passava três vezes por dia a pomada que ela me indicou, Cicaplast Baume B5 da La Roche-Posay. A marca é chique mas o preço é ok, saiu R$35 reais na farmácia o tubo com 20 ml que ainda estou passando pra mantê-la hidratada e me ajudar na coceira – sim, coça pra caramba.

Tatuagem de borboleta com aquarelas cicatrizada
Tatoo 15 dias depois já sem as pelinhas.

Agora já uso protetor solar nela e tomo cuidado pra não tomar muito sol, mas o resultado foi ótimo! As cores estão lindas! Muita gente me pergunta onde fiz e indico a Pam pra todo mundo! Agora é preparar pra próxima.

E você? Já pensou em fazer uma tatoo assim lindona?

Turismo em Edimburgo: South Queensferry

Turismo em Edimbugo: South Queensferry e as pontes da cidade

Turismo em Edimburgo: Forth Bridge vista de longe
Forth Bridge

Sobre South Queensferry

É um distrito de Edimburgo situado a 10 km a oeste do centro da cidade, ali é o estuário do rio Forth que deságua no Mar do Norte, e podemos ver várias pontes por lá, como a Forth Road Bridge (2.512 km), Queensferry Crossing (2.133 km) e Forth Bridge (2.467 km).

O passeio

O noivo queria me mostrar um lugar que ele foi e que achou bacana, para ver umas paisagens diferentes do que estávamos vendo até então. Edimburgo é uma cidade costeira da Escócia e ele queria me mostrar alguma paisagem com água e com um visual bacana, afinal, somos totalmente vendidos para visuais bacanas por aqui. Então pegamos um ônibus e fomos para esse distrito fofucho de Edimburgo.

Rua de South Queensferry
Rua do distrito de South Queensferry

Rua de South Queensferry
Eu apaixonada na paisagem de South Queensferry

De cara apaixonei das ruazinhas do lugar. A cidade é toda voltada para o estuário e a maioria das casas são pequenas e super fofinhas, de pedra e com flores coloridas nas janelas, me senti em um cenário de filme, mesmo com tanto frio que estava por lá. Deu pra perceber várias lojinhas de artesanato e arte feita por pessoas ali da cidade mesmo. Muita coisa diferente pra decoração, feitos até com coisas que vem do rio mesmo.


Panorâmica do lugar

Além de ruas e casas lindas, a vista das pontes é bem legal. Só ali são três delas, sendo a Forth Bridge – vermelha – a mais linda de todas. Ela é considerada ícone da cidade, foi votada em 2016 como a maior maravilha da Escócia feita pelo homem e é considerada um patrimônio mundial da UNESCO. Sua construção começou em 1882 e foi inaugurada em março de 1890.

Forth Bridge e lavandas na frente
Forth Bridge

Andamos por lá, tiramos várias fotos e compramos um meal deal para almoçar de frente para o rio. O sol resolveu dar uma leve aparecida e conseguimos esquentar um pouquinho os espíritos antes de voltar para a cidade.

Eu e Forth Bridge

Como chegar?

Saímos do centro de Edimburgo com um ônibus para Queensferry que pegamos na Princess Street.
Valor: £4,50 (Day Ticket de ônibus) + £2 para o trajeto maior. O passeio por lá é a pé mesmo, portanto, de graça.
Tempo de Passeio: Fomos na parte da manhã e ficamos até o almoço. O ônibus demora uns 40 minutos para chegar até lá.

Eu e o noivo com a ponte ao fundo

Assistir: Hwarang (2016)

Hwarang, o dorama cheio de beleza

Cartaz de Hwarang

Sinopse

A rainha Ji So administra Silla desde a morte do rei. Ela manteve seu filho longe do trono para garantir a segurança dele, mas a paciência do garoto e dos nobres à sua volta está acabando. Para proteger o rei dos dissimulados nobres, Ji So reúne um grupo de jovens e belos guerreiros, conhecidos pelo povo como Hwarang.

O líder dos Hwarang é Moo Myung, um jovem de família simples que se tornou um lendário guerreiro e vive como se não houvesse amanhã. Com a determinação de um cão e a liberdade de um pássaro, ele fará o que for necessário para proteger a mulher que ama.

Go Ah Ra é uma mestiça que trabalha duro para sustentar sua família, mas consegue se manter focada e animada apesar das dificuldades. Além de médica dos Hwarang, ela também é a dona do coração de Moo Myung.

Park Hyung Sik é o filho da rainha e herdeiro do trono, que viveu uma vida solitária. Ele se esconde para evitar ser assassinado, mas está impaciente para ocupar o trono, e isso o leva a se tornar um Hwarang com o objetivo de eliminar os nobres que ficarem em seu caminho.

Eles e os outros Hawang lutarão para que a ganância dos nobres de Silla não contamine o trono – isto é, se as lutas deles próprios não interferirem.

Hwarang é baseado na história real do grupo de guerreiros de elite que foi formado por volta do século X, em Silla. Embora tenham sido conhecidos apenas como belos guerreiros no começo, a lenda dos Hwarang cresceu muito na Coreia, e hoje eles são considerados como respeitados heróis.

Os Hwarang se apresentam

O que achei de Hwarang?

Apesar de ter no elenco vários atores que eu adoro, como Park Hyung Sik (Strong Woman Do Bong Soon), Hwarang foi um dorama bem fraco e ficou bem abaixo dos que eu estava assistindo. Foi até bem penoso terminar de ver, mas no fim eu até que me diverti.

A Ro foi uma protagonista muito fraca. Sem atitude e chorona demais, aqui a gente gosta é de ver mulheres que vão atrás das coisas como A princesa Sookmyung por exemplo, que apareceu lá pro meio da história e ficou mais interessante que a mocinha.

A Ro e sua amiga
A Ro e Soo Yeon

Sam Maek Jong é o melhor que acontece para o dorama. Apesar de ser um personagem mais secundário, o rei rouba a cena do nosso mocinho Moo Myung e acaba sendo uma das melhores coisas da história. Ele cresce muito como personagem e toma conta a coisa toda.

Rainha Jiso
Rainha Jiso

No resumo de tudo, até me diverti assistindo Hwarang, mas indicaria outros para as pessoas, passou longe de ser um dos meus preferidos. E você? Já assistiu?
Se você quiser assistir este e outros doramas, indico muito o Drama Fever.