Ilustração: Ana e Marcos

A Ana é uma jornalista super animada, simpática e cheia de criatividade que aparece em seus bordados. Ela tem um blog, o Conversas de Ana, onde ela fala sobre muitas coisas da vida dela e de artesanato. O Marcos é mais quietinho e tímido, foi meu colega de trabalho, diretor de arte de mão cheia e super fã de animes e cultura oriental, assim como eu. Também escreve seus aprendizados e divagações sobra a área de design e agências em um blog que leva o nome dele, Singulano.

Quando me pediram uma ilustração só deles pra colocar na parede, eu fiquei super feliz de poder fazer algo. Eles deixaram o tema livre, o que é bem complicado, mas foi aí que veio a ideia de misturar o que eles gostam e fazer uma coisa única. Pensei então em um casal de kimonos em um mundo de artesanato. Maluco? Mas uma união de dois mundos e duas paixões.

Material utilizado: Aquarelas Lukas e Winsor & Newton, pincéis Cotman Winsor & Newton (0, 1, 4 e 12), máscara líquida Molotow 2.0 mm, papel Canson Montval Moulin du Roy 100% algodão 300g.

QUER UMA AQUARELA PRA VOCÊ?


Entre em contato pelo blogdachell@gmail.com e peça um orçamento. Vale pra dia das mães, dos namorados, dos pais… o que você quiser! Também faço quadrinhos para maternidade, como este, este e este.

Vídeo: Motivando seu Artista Interior | Chell

motivando seu artista interior

Ser uma pessoa criativa e que quer trabalhar com artes traz algumas perguntas dentro da gente que podem se transformar em monstros e fazer com que larguemos TUDO! Pra não deixar seu artista interior morrer, fiz este vídeo com 5 dicas pra continuar sempre motivando seu artista interior! Vem conferir!

Se você gostou e não quer perder mais nada, se inscreve no canal!

Passeio: Templo Zulai – Cotia/SP

Templo Zulai

Em Cotia, cidade que fica pertinho da capital de São Paulo, encontra-se um espacinho do oriente, e em fevereiro tive a oportunidade de conhecer este lugar. No dia 5 de fevereiro aconteceu por lá a comemoração do Ano Novo Chinês do galo, que pela cultura oriental é comemorado com base nas fases da lua e na posição do sol, diferenciando assim todo ano a data deste acontecimento. No dia de festa você encontra por lá muitas barraquinhas de comida, apresentações de música, leão chinês, kung fu (AMO) e MUITA GENTE!

O Templo Zulai possui uma edificação de 10 mil m2 de área construída, em uma área total de 150.000 m2. O projeto arquitetônico foi inspirado no estilo oriental dos palácios da Dinastia Tang e foi desenvolvido por arquitetos chineses, taiwaneses, japoneses e brasileiros. As obras foram concluídas em outubro de 2003, fazendo surgir, assim, a “Terra Pura” do Budismo Humanista na América do Sul.

Templo Zulai

Templo Zulai

Sobre o passeio

O dia estava bem quente, mas por lá foi fácil encontrar lugares pra se esconder do sol. As comidas das barraquinhas tinham preços tranquilo, variando entre R$5 e R$10, dependendo do que você queria comer. Lembrando que todas as comidas dentro do templo são vegetarianas.

Quero muito voltar lá com mais tempo, curtir melhor o lugar e os jardins, pois no dia estava tudo lotado demais. Se você quer ver as apresentações chegue cedo e fique já no seu lugar, pois não consegui ver nada, já que tudo é feito no pátio e não em um lugar mais alto, então quem fica na parte de cima do lugar só vê algo se realmente sentar e não sair. As apresentações acontecem a tarde toda e são feitas por pessoas que participam dos projetos feitos pelo templo. Apesar do tumulto, o lugar é lindo! Vale muito a visita e se você tiver paciência, vá na comemoração do Ano Novo, porque é bem legal.

Templo Zulai

Templo Zulai

Como chegar?

O templo fica na Estrada Fernando Nobre, 1461 (Acesso pelo Km 28,5 da Rodovia Raposo Tavares), e você vê placas indicativas na rodovia, acesso bem fácil. Porém em dias de evento recomenda-se chegar BEM cedo, pois fica tudo lotado, principalmente estacionamentos.

Quanto? Entrada gratuita, até nos dias de evento.

Quer saber mais?
Visite o site do templo: http://www.templozulai.org.br

Ilustração: Baleias que Me Habitam

Alguns dias eu fico mal por conta da ansiedade e não consigo trabalhar direito. Por conta disso entro em um loop meio maluco de: não trabalho, fico nervosa porque não consigo trabalhar, fico mais nervosa porque não consigo trabalhar. No fim das contas a coisa vai crescendo e as vezes até percebo que não estou respirando. É muita coisa na cabeça, muita preocupação, que pode parecer pequena vista de outros olhos, mas quando se misturam na mente de uma pessoa ansiosa, isso vira um turbilhão.

Pra ficar melhor eu sentei e resolvi fazer um desenho que estava prometido pra uma amiga fazia tempo. Deixei sair o que eu estava sentindo, juntei com coisas que eu gosto (baleias e aquarelas) e saiu essa gracinha trabalhada na simplicidade e no pontilhismo. Fiquei bem feliz com o resultado e resolvi trazer aqui pra vocês verem, e pra falar um pouco dessa minha fase.

Sempre que me sinto meio mal com a vida/carreira eu me viro para meus desenhos. Sempre. De um jeito ou de outro eu me entrego aos lápis que tenho na mesa e deixo fluir. Por conta disso decidi este ano voltar a estudar com seriedade, para melhorar minhas habilidades e quem sabe, trazer mais coisas do tipo pra minha vida. Estou mantendo a promessa desde janeiro, estudando certinho, fazendo cursos do Schoolism (breve falo deles aqui), e me dedicando a este lado que sempre esteve comigo.

O desenho, além de algo que amo, é algo que me ajuda muito a acalmar e enfrentar os dias ruins. Não importa o que eu desenhe, a coisa flui e eu fico bem. Se assim me sinto, resolvi aceitar e deixar acontecer. Que esses pensamentos pesados (baleias) dentro da minha cabeça se tornem cada dia mais leves e sirvam pra que eu me mantenha firme nos meus propósitos.

Materiais utilizados: Aquarelas Winsor & Newton e Lukas. Pincéis Cotman Winsor & Newton nº 7 e 4. Caneta Sakura Micron 0.1 e 0.3. Papel Canson Montval 300g.