Como cuido do meu cabelo curto

Cuidados com cabelo curto

\fto minha de cabelo bem grande, segurando um raminho de zamioculca em frente ao rosto. Ao lado uma outra foto, mais recente comigo de cabelo curtinho.Meu antes e depois.

Ano passado deu a louca mais uma vez e eu resolvi cortar o cabelo curtinho. Lá fui eu levar a inspiração pro meu pai, que além de fazer parte da minha vida como um bom pai, ainda é meu cabeleireiro de confiança desde meus primeiros fios na cabeça. Só ele tem a permissão de fazer e acontecer aqui nessa madeixa.

Levei uma foto de Ruby Rose, maravilhosa em XXX (aquele filme com o Vin Diesel) e ele foi lá e PUF! Cortou tudo.

Contei um pouco sobre as vantagens e desvantagens do cabelo curto em um vídeo lá no canal, só que além dessas coisas, minha rotina cabelística deu uma boa mudada e por isso vim aqui contar pra vocês essas mudanças de cuidados.

Embalagem do Cereal Killer da Lola Cosméticos, uma pomada para cabelo, com desenhos de folhinhas e corações ao redor

Mantendo ele no lugar.

Só quem tem o cabelo curtinho sabe o estado que ele acorda. É a hora do seu marido/namorado/noivo te zoar tudo que você zoou eles nos dias que ele acordou descabelado. Cada pedaço vai para um lugar, cada ponta fica de um jeito, uma loucura. Então todo dia é bom molhar o cabelo cedo, ou pra sair.

No meu caso (não sei se acontece com cabelos enrolados) o cabelo é liso e ele fica caindo no rosto ou vira as pontinhas pro lado errado quando seca. Como eu não manjo nada de fazer escova e usar coisas quentes pra modelar o cabelo, eu comprei uma pasta ótima liberada pra low poo e no poo da Lola. Foi amor logo de cara! O cheirinho é delicioso e deixa meu cabelo como eu quero! O segredo é passar uma quantia boa e amassar com as mãos pra dar aquele ar “acordei desleixada” que a gente adora.

Embalagem Elseve Light Poo com folhinhas desenhadas.

Lavando a Juba.

Cabelos curtos ficam muito mais oleosos porque a oleosidade normal do cabelo tem menos comprimento de fio para percorrer. Apesar disso eu já lavava meu cabelo diariamente por ele ficar oleoso e por conta dos meus treinos de kung fu, então pra usar um produto melhor e cuidar também das cores do meu cabelo, comecei a usar este shampoo da Elsève Light Poo e achei ótimo! Como ele está bem curto uso pouco produto e ele fica cheirosinho!

Economize, mas não descuide.

Apesar de estar economizando bastante com tinta colorida e produtos, a gente não pode descuidar do cabelo! Como corto ele todo mês ele está sempre sendo cuidado neste sentido, mas tenho que hidratá-lo para que não fique muito seco, espetado e sem brilho, principalmente porque tenho descoloração nos fios. Por isso de 15 em 15 dias eu faço uma hidratação nele. A cada 20 dias também arrisco uma reconstrução para ajudá-lo a ficar mais brilhante e saudável.

Não tem muito segredo e muitas mudanças, mas sempre é bom dividir aqui no blog essas coisas de cabelo que vou descobrindo e mudando. Quem sabe vocês também não vêm com alguma dica né?
Quem aqui já se rendeu aos curtinhos? Conta pra mim nos comentários!

Evento: Semana Monteiro Lobato 2017 – #SML2017

Semana Monteiro Lobato em Taubaté

Eu, Renata Cundari, Armindo Ferreira, Má Moraes, Thiago Galvão e Marcela Cerqueira numa selfie.

Um convite delicioso

Este ano fui convidada para um evento que já está no meu coração, a Semana Monteiro Lobato, lá em Taubaté, terra do escritor. Organizada pelo Almanaque Urupês, pelo Taubaté Shopping e pela Livraria Leitura, o evento reuniu uma programação maravilhosa entre os dias 19 e 23 de abril.

Vários nomes de peso passaram por lá, como Carina Rissi, Carolina Munhoz, Raphael Draccon, Heloisa Prieto e Bruno Honda, e eu fui convidada, juntamente com outros criadores de conteúdo aqui da região do Vale do Paraíba, para falar sobre produção de conteúdo digital por aqui.

Thiago Galvão, eu, ma Moraes, Marcela Cerqueira e Armindo Ferreira.

Thiago Galvão olhando para mim, que estou falando no microfone, ao lado, Ma Moraes.

A mesa dos boletos

Foi bem legal reencontrar pessoas que sigo aqui do Vale. Eu, Má Moraes, Marcela Cerqueira, Armindo Ferreira e o mestre de cerimônias Thiago Galvão falamos sobre como é complicada a relação entre as marcas e o produtor de conteúdo por aqui, de como mantemos os trabalhos paralelos da nossa vida “na internet” para pagar os boletos que chegam no fim do mês, mudanças de regras nas plataformas, etc.

Ganhamos um kit fofíssimo pela participação, com direito até a pó de pirlimpimpim!

Eu e Draccon no maior papo.

Carolina Munho e eu.

Autógrafos e espaço pra uma fã.

Fora a mesa, aproveitei para ficar na palestra super legal com Carolina Munhoz e Raphael Draccon, escritores brasileiros que eu adoro e sigo faz tempo nas redes sociais. Draccon é meu querido por conta da trilogia de livros Dragões de Éter que eu adorei ler. Infelizmente não tinha livros para autógrafo, mas fiz questão de tirar foto com os dois.

Eu segurando a pelúcia do Jovem Link, personagem do Zelda, e Camila Loricchio.

Ainda encontrei minha amiga e eterna bixete da faculdade, Camila Loricchio, que é escritora e estava com livros dela numa máquina linda que você podia pegar livros. Aliás indico muito a trilogia Castelo de Cartas.

Eu usando um capacete de papelão criado por Bruno Honda, que estava na exposição dele.

Caixas da exposição de Bruno Honda

Leitura e Arte

Pude ainda conferir a exposição do Bruno Honda, criador do famoso Mônica Toy, animação bem simplificada e engraçadinha da Turma da Mônica. O cara manda muito bem e fiquei só alí babando nas artes que ele faz em coisas que provavelmente jogaríamos fora, como desodorantes e caixas de pizza.

Pra completar a felicidade, estava rolando a exposição Donas da Rua, com artes de personagens da Turma da Mônica feitas por artistas que admiro muito. Mas é tanto que deixei isso pra falar em um próximo post e dar a devida atenção. Calma que logo ele chega.

E você, conhecia o evento? É da região? Conta mais se você foi e o que achou =D

Material: Pestilento – Aquarela

Pestilento, produtos para arte.

Foto de duas bisnaguinhas de tinta Pestilento e um godê com as duas tintas abaixo.

Quem é?

A Pestilento é uma loja de produtos para arte feitos artesanalmente. Sim você não leu errado, eles fazem os produtos que eles vendem, até as tintas!

Conheci a loja por conta da Carol Passos, que além de uma artista maravilhosa, é a “mamãe” da marca. Como seguia ela no Instagram, logo vi os materiais da loja aparecendo.

Ela e o calígrafo Go Carvalho resolveram criar a marca para poder fazer materiais de qualidade e com preços mais acessíveis para o país, já que a maioria dos materiais é importado, o que dificulta o acesso, e o preço sempre mais salgado. Surgiu então a Pestilento, que tem este nome devido ao gato que eles tinham.

Teste em papel com as cores Yogurte e Vanilla da Pestilento.

Aquarelas

Quando bati o olho na Vanilla eu tive um pequeno surto. Uma tinta que muda de cor e fica furtacor de acordo com a luz? Eu precisava testar isso! Então juntei moedinhas e fiz meu pedido dessa cor maravilhosa e da Yogurte, já que meu rosa está indo pro beleléu. Paguei por depósito e logo me enviaram, rapidinho!

Mal ela chegou e lá fui eu testar e ver como elas reagiam. A Yogurte tem uma boa transparência e pra mim rendeu super bem. A Vanilla tem a mesma texturinha e deixa um efeito magnífico. Eu fiquei sem ar. Você pode ver mais aplicações dessa tinta no papel de parede de abril aqui do blog, que usei ela nos cabelos da sereia. Simplesmente minha preferida.

Teste em papel com a cor Vanilla da Pestilento, em cima de outras cores.

Mais coisas lindas

Agora estou namorando as metalizadas em conchinhas (você leu certo, as tintas vem em conchas), como a Klimt e a Tengu, cores lindíssimas e que já vi que devem ser tão boas quanto. E as fluorescentes Chernobyl e Fukushima, que tem um tom bem chamativo, coisa linda de ver.

Tinta Tengu numa conchinha e kit de aquarelas fluorescentes

Em breve eles vão contar com outros tipos de tinta, e você encontra materiais como godê, estojos e outros mais lá na loja. Já conhecia?

Para mais informações acesse:
Loja on-line | Facebook | Instagram

HQ: Yowiya | Hiro Kawahara

Conheça Yowiya, de Hiro Kawahara

Capa da HQ Yowiya de Hiro Kawahara. Na frente temos Kipky, em amarelo, logo atrás Manon, toda em azul com as letras do título da HQ na frente. Atrás dela, bem ao fundo da composição,  Yowiya.

O Projeto

Esta HQ independente feita por Hiro Kawahara foi para o Catarse ano passado e tive o prazer de ajudá-la a vir à vida. Sou fã do Hiro desde que juntava e colecionava as lâminas das bandejas do Mc Donald’s e a admiração só aumentou quando fiz um workshop com ele há uns anos atrás.

Junto desta HQ veio o Maravilhoso, que já falei por aqui no blog.

A História

Yowiya é um deus que era adorado pelos macacos, mas com a evolução e a massificação do homem na terra, ele deixa de ser adorado, até que Kipky por algum motivo o desperta. Ele agora quer ser adorado pelos humanos, mas o que ele fará pra que isso aconteça?

Para ajudar Kipky nesta aventura temos a personagem de Manon, uma modelo que foi brutalmente assassinada e tem seu corpo astral andando pela terra.

Página mostrando Kipky e Manon andando lado a lado na rua

Sobre o quadrinho

Apesar de contar com 86 páginas, eu senti que a história tinha espaço pra muito mais coisa. A morte de Manon fica pairando no ar, apesar de ser mencionada por várias vezes e dando a entender que ela era importante para o que ia acontecer. Acho que seria legal ter abordado um pouco mais da própria Kipky, que é a personagem principal. Em alguns momentos dá a entender que ela tem alguma doença, mas nunca diz qual.

Adorei a maneira que o Hiro achou pra homenagear pessoas que ele admira, colocando artes espalhadas por todo o quadrinho. E falando em desenho, Hiro arrasou. Principalmente na parte dos macacos, eu fiquei olhando o maior tempão para a página tentando imaginar aquilo tudo acontecendo. Foi muito doido e grandioso e achei que ele conseguiu mesmo passar aquele sentimento.

No geral gostei muito da história, entendi que tem um limite de páginas e que por isso muita coisa pode ter sido deixada de fora para um próximo volume, quem sabe. Seria interessante ter mais um para fechar isso e nos explicar algumas coisas, mas o que me deixou bem chocada foi a maneira que Kipky “destrói” Yowiya. Achei BEM bizarro, mas depois de ler Maravilhoso acho que meio que aceitei. Mesmo assim pareceu bem forte e teria cuidado em indicar a HQ por ai, pois me passou um pouco uma sensação de estupro e não sei, só sei que foi assim.

Cena do quadrinho mostrando coisas caindo de um penhasco

E você, já leu essa HQ? O que achou? Conta aí nos comentários!